Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

O que o brasileiro pensa?
26 de janeiro de 2011, 18h49

Da Fundação Perseu Abramo: mais uma desqualificação da Folha de São Paulo

Folha tenta desqualificar fundações partidárias

Por: Redação FPA, no blog da Fundação

26/01/2011

Em matéria publicada no dia 22/1, a Folha de S.Paulo mostra como não fazer jornalismo. Ao generalizar, desqualifica o trabalho das fundações partidárias e não trata com seriedade a questão do financiamento público eleitoral, assunto da pauta política brasileira.

Abaixo a carta enviada hoje por Zilah Abramo à ombudsman da Folha de S.Paulo:

À Suzana Singer
Ombudsman da Folha de S.Paulo

A Folha de S.Paulo publicou a matéria “Repasses para fundações partidárias crescem 50%” no dia 22, contendo ilações que atingem todas as fundações partidárias indiscriminadamente. O texto aponta para o desconhecimento da redação sobre a Lei 9.096/95 que regula a existência dessas fundações, o que é evidenciado no subtítulo “Sem fiscalização da Justiça Eleitoral, entidades receberão R$ 60,2 mi em 2011”. Generalizações como as que estão apresentadas na matéria são perigosas e não traduzem a realidade daqueles que levam seu trabalho a sério. A Fundação Perseu Abramo (FPA) é uma referência em modelo de gestão, tanto assim que teve aprovadas todas as prestações de contas apresentadas ao Ministério Público.

A Fundação foi criada em 1996 e é reconhecida nacional e internacionalmente como uma instituição que contribui para a reflexão sobre o Brasil, sobre a América Latina e sobre as principais questões mundiais. Nos seus 15 anos de existência, mais de 700 intelectuais, além de dirigentes partidários e de movimentos sociais, no Brasil e no exterior, se expressaram por meio de algum projeto da FPA. Projetos esses voltados à formação política, à preservação da memória, à promoção da reflexão sobre o projeto de desenvolvimento para o Brasil, a consolidação e ampliação da democracia, a economia mundial, as relações internacionais e muito mais. A FPA abriga a Escola Nacional de Formação do PT, já publicou 180 livros, edita as revistas Teoria e Debate e Perseu – História, memória e política, tem promovido seminários e debates sobre diferentes aspectos do projeto de desenvolvimento brasileiro, integração latino-americana e relações internacionais além de iniciativas de inclusão como a Biblioteca Digital. As pesquisas nacionais realizadas são referência para a sociedade e para a formulação de políticas públicas. Mais de 30 mil brasileiros e brasileiras foram ouvidos nas pesquisas sobre a situação das mulheres, dos jovens, dos idosos, e sobre discriminação racial e diversidade sexual, entre outras.

O financiamento público eleitoral é o pano de fundo da matéria em questão, por sinal é um dos temas que estará na pauta da agenda política de 2011. A abordagem realizada pelo jornal de “uso indevido” do dinheiro público demonstra um padrão de generalização incompatível com um jornalismo que pretenda verdadeiramente informar os seus leitores. Da mesma forma é inaceitável a afirmação de que a Fundação Perseu Abramo é presidida por um político derrotado em 2010. Nilmário Miranda assumiu a presidência da FPA em dezembro de 2008, por sua respeitável trajetória política como militante partidário, parlamentar e ministro de Estado. Tudo isso poderia ter sido facilmente verificado pelo jornalista junto à instituição, caso o objetivo da matéria fosse veicular as informações a partir de uma perspectiva plural e democrática.

As informações solicitadas (reproduzidas abaixo) foram prontamente fornecidas, porém nenhuma delas foi utilizada pelo jornal. Da mesma forma, para a elaboração da matéria, não foram ouvidos dirigentes da FPA e representantes do Ministério Público de São Paulo.

Zilah Abramo, presidente do Conselho Curador da Fundação Perseu Abramo.
zabramo@uol.com.br

Reprodução duas mensagens eletrônicas enviadas ao jornalista Bernardo Mello Franco no dia 20/1/2011.

Bernardo,

seguem as informações:
1. Quantos funcionários tem a fundação?
30 funcionários

2. Além do fundo partidário, a FPA projeta outras receitas para 2011? De que origem e valor?
Não temos montantes ainda, mas são recursos que serão vinculados a atividades (seminários, debates e/ou pesquisas)
a) Convênios – Serão assinados convênios com instituições nacionais e internacionais e fundações partidárias do Brasil e do Exterior;
b) multas eleitorais.

3. Quanto foi gasto em viagens em 2010? Com que finalidade?
No momento por estar em processo de fechamento de balanço, não temos como informar o número de passagens emitidas e seu custo, contudo podemos adiantar que as viagens obedecem estritamente o caráter de viagens funcionais de dirigentes, conselheiros e demais profissionais envolvidos nas ações desenvolvidas pelas FPA discriminadas em respostas a outros questionamentos acima. Oportunamente poderemos enviar estes dados com precisão, até porque são públicos e examinados anualmente pelo Ministério Público de Fundações em cumprimento ao disposto no artigo 66 do Código Civil Brasileiro.

4. A FPA faz relatórios de gestão? Em caso positivo, pode nos enviar o último?
Relatório de gestão será elaborado e entregue ao Ministério Público em abril 2011, quando vence o prazo para essa apresentação.

5. Podemos ver a última prestação de contas anual?
A última prestação de Contas anual – 2009 – está disponível no Ministério Público, via Curadoria de Fundações da Comarca de São Paulo, através do SICAP (Sistema de Cadastro prestação de Contas), da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas – FIPE.

——————-
Principais atividades realizadas pela Fundação em 2010

Oficinas – Foram realizadas (9) nove oficinas do ciclo “2003-2010 O Brasil em Transformação”: Desenvolvimento, Meio Ambiente, Desenvolvimento Social, Desenvolvimento Social, Educação, Estatais, Política Externa, Saúde, Cidadania e Direitos Humanos, com a participação de ministros e integrantes do governo federal, membros da direção do PT, intelectuais, lideranças de movimentos sociais e de organizações não-governamentais.

Seminários – Principais: “A integração sul-americana e os desafios políticos e sócio-ambientais da Pan-Amazônia” (FPA, FES*Alemanha e DN/PT)* e “Amazônia: caminhos para o desenvolvimento econômico, social e sustentável com a inclusão do seu povo” (FPA, CNS e DN/PT), em Belém, no Pará. “Brasil 2003-2010: transformações, perspectivas e desafios para o próximo período”, em parceira com a fundação francesa Jean Jaurès, em São Paulo. No ciclo “A Propósito”, relato da equipe do Núcleo de Opinião Pública/FPA sobre viagem à Reserva Raposa Serra do Sol para o preparo da pesquisa sobre os indígenas no Brasil e o debate “Esquerdas Brasileiras: Ação Popular” (CSBH/FPA).

Participações em eventos – Principais: Fórum Social Grande Porto Alegre e Seminário de balanço dos 10 anos do FSM, e no Fórum Social Temático – Da Bahia a Dakar, em Salvador, Bahia: enfrentar a crise com integração, desenvolvimento e soberania; participação no Fórum Social das Américas, em Assunção, no Paraguai, com realização dos seminários “Governos de esquerda e progressistas e integração solidária na América Latina ” e “Brasil: transformações e desafios para o próximo período” (FPA e FMG*). Participação no XVI Encontro do Foro de São Paulo, em Buenos Aires, Argentina.

Formação: realização da Jornada Nacional de Formação (2ª etapa, 1º semestre): jornadas estaduais 1.120 participantes em 16 estados; Zonais – São Paulo/capital: 500 participantes.

Publicações editadas em 2010
Novas publicações:
Revista Perseu nº 4 e nº 5 (CSBH/FPA)*,
Brasil e China em debate (NCI/FPA e SRI/PT)*,
Guia dos direitos sociais (de José Araújo Prata),
Leituras críticas sobre Maria da Conceição Tavares (organizado por Juarez Guimarães, em coedição Editora UFMG)
Políticas para o desenvolvimento local (de Marcio Pochmann e Ladislau Dowbor);
“2003-2010 Brasil em Transformação “: A nova política econômica/A sustentabilidade ambiental, “2003-2010 Brasil em Transformação “: As novas bases da cidadania – Políticas sociais, trabalho e Previdência Social,
“2003-2010 Brasil em Transformação “: Justiça e Segurança,
“2003-2010 Brasil em Transformação “: Política Externa;
O governo Lula e o combate à corrupção (de Jorge Hage);
Desenvolvimento, trabalho e renda no Brasil (de Marcio Pochmann),
O governo Lula e o novo papel do Estado brasileiro (de Glauco Faria);
O governo Lula e a construção de um Brasil mais justo (de Aloizio Mercadante).

Livros reimpressos e novas edições
Introdução à economia solidária (de Paul Singer);
Cidadania cultural, de Marilena Chaui;
Simulacro e Poder, Brasil- mito fundador e sociedade autoritária, de Marilena Chaui;
Brasil, entre o passado e o futuro (de Emir Sader e Marco Aurélio Garcia – orgs, em coedição Editora Boitempo);
Poemas do povo da noite, 3ª edição revisada (de Pedro Tierra, em coedição Publisher Editorial);
Bolsa Família, 2ª edição revisada e ampliada, com novo prefácio (de Marco Aurélio Weissheimer);
Século XX: Uma biografia, 2ª edição (de Emir Sader);
Renda de Cidadania (de Eduardo Suplicy, em coedição com a Cortez).

————————————————————————————————————————
*Siglas: FPA (Fundação Perseu Abramo), CSBH (Centro Sérgio Buarque de Holanda), NCI (Núcleo de Cooperação Internacional), SRI/PT (Secretaria de Relações Internacionais/PT), DN/PT (Diretório Nacional do PT), FMG (Fundação Mauricio Grabois), FES (Fundação Friedrich Ebert), RLS (Instituto Rosa Luxemburgo), CNS (Conselho Nacional dos Seringueiros).


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum