Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

Entrevista exclusiva com Lula
19 de fevereiro de 2011, 13h43

Iraque: o que os Estados Unidos fizeram por lá desde 2003?

O Iraque tomado por protestos
Por: Juan Cole, no Informed Comment Tradução: Vila Vudu
18/2/2011


Fontes da Imagem deste post: Reuters

O que não consigo entender é que, se a direita dos EUA conseguiu fazer o que George W. Bush disse que faria, ‘deu o pontapé inicial’ para implantar alguma democracia no Oriente Médio, com invasão e ocupação militar, e já se declara pronta para sair de lá, com a missão cumprida… POR QUE, então, as multidões estão hoje na rua, queimando prédios do governo ‘democrático’… no Iraque?! E por que cinco pessoas foram mortas há dois dias no Iraque, por se manifestarem nas ruas, o mesmo número de mortos oficiais que se contaram nas manifestações populares contra uma monarquia ditatorial e repressiva, como a do Bahrain?

Os iraquianos estão nas ruas, em manifestações contra o governo de al-Maliki e a falta de serviços públicos, já há duas semanas. Mas na 5ª-feira, uma onda de manifestações varreu todo o país, de norte a sul, deixando dois mortos em Sulaimaniya e prédios governamentais em ruínas em todo o país (em árabe, aqui).

O jornal Al-Hayat noticia em árabe que a cidade de Kut, no sul xiita do Iraque (a capital da província de Wasite), multidões ameaçaram o quartel-general da província. A ação aconteceu um dia depois de o prédio do concelho provincial ser queimado; três manifestantes foram mortos pelas forças de segurança.

O canal Euronews mostrou em vídeo, na 4ª-feira, os eventos em Kut:

——-

——-

O parlamento iraquiano marcou para o sábado o início de uma série de reuniões para discutir os protestos. O primeiro-ministro Nuri al-Maliki advertiu que forças sinistras, incontroláveis, tentam manipular as legítimas demandas do povo, para promover seus objetivos nefandos.

Em Kut na 3ª-feira, dúzias de manifestantes reuniram-se à frente da mansão do governador da província de Wasit, exigindo a demissão do governador local (aqui). Querem melhores serviços públicos, o fim da corrupção no governo (os funcionários da administração provincial cobram propinas para executar todas as tarefas públicas), julgamento e punição para os corruptos e empregos. Na 4ª-feira, a polícia matou três manifestantes e feriu vários em Kut, depois de um prédio do governo ser queimado.

Na 3ª-feira, na cidade de Nasar, na província de Dhi Qar, a 490 km ao sul de Bagdá, o chefe de polícia Sabah al-Fatlawi disse que havia sido imposto um toque de recolher, depois de vários prédios do governo terem sido incendiados.

Também na 3ª-feira, cerca de 600 manifestantes em Basra, cidade portuária do sul do Iraque, reuniram-se à frente da residência do governador provincial, exigindo sua renúncia, pelo fracasso da administração e inexistência de serviços públicos básicos. A manifestação foi dissolvida pela polícia.

O jornal Al-Hayat noticia que médicos informaram que houve dois mortos e mais de 30 feridos em Sulaimaniya, quando cerca de 3.000 manifestantes reuniram-se para exigir que o governo regional do Curdistão dê atenção aos problemas de desemprego e passe a trabalhar para melhorar as condições de vida dos moradores da região. A manifestação foi convocada pela “The Network for Safeguarding Rights and Liberties” – que protestava contra o governo autoritário dos dois partidos curdos reunidos na “Aliança Curda” de governo. No Iraque, os partidos políticos são máquinas de apadrinhamento, que excluem os não-membros de todos os benefícios e serviços. A manifestação exigia a deposição do governo e o fim da corrupção.

Na 2ª-feira, o clérigo xiita Muqtada al-Sadr convocara uma manifestação pacífica contra o que chamou de “continuada ocupação do Iraque pelos EUA”. Os Sadrists são a base de praticamente todas as manifestações nas cidades do sul do Iraque (em árabe, aqui).


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum