Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

11 de agosto de 2012, 14h37

UNDIME: Apresentado recurso contra o PNE e contra a educação pública nacional

Sei que há pesquisadores sérios que questionam os 10% do PIB. No central eles argumentam que se a sociedade civil aprendesse a fiscalizar, muitos dos recursos desviados poderiam ser aplicados na educação de maneira eficiente. Para eles, os governos podem repassar 50% do PIB para educação, mas com má gestão e desvios a educação continuará de má qualidade. Mas independente dos argumentos econômicos, de orçamento, responsabilidade fiscal etc que este governo apresente, nada pode melhorar tanta inabilidade ao lidar com o tema da educação e seus impasses como o tratamento dado a greve nas federais e agora fazendo seus deputados e aliados passarem este vexame de entrar com recurso contra o PNE que estabelece 10% do PIB para a educação

Apresentado recurso contra o PNE e contra a educação pública nacional

UNDIME

10/08/2012

A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados recebeu o Recurso 162/ 2012 ao Projeto de Lei 8035/ 2010, que trata do Plano Nacional de Educação, nesta quinta-feira, 9 de agosto, às 18h30. A lista de assinaturas somente hoje foi tornada pública após validação pela Secretaria da Mesa.

No recurso, o líder do governo, deputado Arlindo Chinaglia (PT/ SP), questiona o caráter terminativo concedido ao PNE na Comissão Especial. Em outras palavras, não concorda que o assunto tenha sido discutido apenas na Comissão. Entretanto, vale lembrar que, no início de 2011, o governo defendeu a tramitação do PNE pela Comissão Especial e não pela Comissão de Educação. Por que, então, o questionamento agora?

Processo de tramitação

Para o recurso ser válido, a aceitação do pedido deverá ser votada em Plenário. Para ser aceito, precisará da aprovação da maioria simples dos deputados: metade mais um dos presentes, não importando o número de deputados votantes no momento.

O próximo passo do processo é a colocação do Projeto de Lei em votação. Para isso, seguirá o caminho comum a qualquer outro Projeto de Lei. Para entrar em pauta, dependerá, exclusivamente, do presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT/ RS).  E também como qualquer outro projeto poderá sofrer alterações das mais diversas formas. Pode, por exemplo, perder todas as mudanças conquistadas na Comissão Especial.

Não existe um prazo regimental tanto para a aprovação do recebimento quanto da votação do teor do Projeto de Lei. Mais uma vez dependerá da presidência da Câmara.

Significa dizer que após 18 meses de tramitação na Câmara dos Deputados, debates, audiências, o PNE poderá ficar parado indefinidamente no plenário da Câmara. Além disso, todos os 513 deputados poderão, novamente, propor emendas. Novamente, sim, pois todos os deputados já puderam contribuir com o PNE na primeira fase do relatório, quando foram apresentadas 2915 emendas. Ou seja, estão retrocedendo e desconsiderando todo o trabalho de análise feito na Comissão Especial.

Mobilização já!

A Undime conclama todos os dirigentes municipais de educação e educadores para novamente se mobilizarem na defesa da educação pública nacional. Não é possível ficar mais um ano sem o Plano Nacional de Educação. O espaço para debater o PNE agora é o Senado Federal.
É necessário expor nossos argumentos para os deputados que assinaram o recurso e convencê-los a retirarem o apoio.

Relação dos deputados que assinaram o recurso contra o PNE e contra a educação pública nacional

Veja também:  Administrador da Wikipédia rebate ameaça de processo de Weintraub: “Tentativa de censura”

 

 

 

 

Clique aqui para acessar o texto do recurso contra o PNE e contra a educação nacional.
Clique aqui para acessar a relação oficial das assinaturas dos deputados que apoiaram o recurso.
Clique aqui para acessar a relação organizada por estado e por partido, com os contatos eletrônicos dos deputados.
Clique aqui para acessar a Nota Pública do Fórum Nacional de Educação contrária à apresentação do recurso.

Clique aqui e leia notícia produzida pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

_____________
Publicidade
//
//


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum