Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
07 de fevereiro de 2020, 15h02

Cinema nigeriano aliado na luta para combater a violência doméstica

A produção nollywoodiana chega até nós pela NetFlix e tem abordado com cuidado e delicadeza vários temas do cotidiano, especialmente quando se trata de abordar questões de gênero e de violência de gênero

O filme nigeriano Wives on Strike (em português Guerra de Esposas 2)

Nollywood é a terceira indústria cinematográfica do planeta. Só perde para Bollywood (o cinema indiano) e Hollywood. É, portanto, um cinema extremamente popular como o é Bollywood e tem um papel tão didático como o cinema indiano ou como foi o cinema Moçambicano nos tempos revolucionários.

A população nigeriana, como em boa parte do continente africano, ainda não tem acesso pleno à educação. Os índices de analfabetismo são altos: mais de 41 milhões de nigerianos adultos são analfabetos, assim o cinema ganha importância como meio educativo.

A produção nollywoodiana chega até nós pela NetFlix e tem abordado com cuidado e delicadeza vários temas do cotidiano, especialmente quando se trata de abordar questões de gênero e de violência de gênero. Só no catálogo da NetFlix você pode assistir Seven and haf dates onde a irmã da protagonista é vítima de um noivo abusador e Wives on Strike (em português Guerra de Esposas 2).

A Nigéria é um dos países mais violentos do mundo contra a mulher. No parlamento nigeriano em 2018, apenas 27 mulheres ocupavam cadeiras entre os 469 assentos no Parlamento. O casamento infantil, uma prática que mobiliza as feministas nigerianas é responsável pela morte de bebês e mães pré-adolescentes.

Embora haja um esforço do governo nigeriano para fazer prevalecer a Constituição que estabelece a igualdade de gênero, há ainda um longo caminho a ser percorrido para vencer a resistência da tradição patriarcal e machista.

O governo já propôs licença paternidade para educar os homens na divisão das tarefas domésticas e no trabalho do cuidado com os filhos e foi rejeitado pelo Parlamento, propôs ainda garantir o direito das viúvas terem acesso aos recursos do falecido. Todas as propostas que visavam garantir a equidade de gênero foram rejeitadas.

Guerra de Esposas 2 – Contém Spoiler
Escrito, produzido e dirigido pela bela Omoni Oboli, Greve de Esposas 2 é uma comédia que trata de assunto sério: a violência doméstica.

Estrelado por Omoni Oboli, Sola Sobowale, Uche Jombo, Ufuoma McDermott, Kehinde Bankole, Chioma Chukwuka entre outras talentosas atrizes, o filme faz uma referência à Lisístrata de Aristofanes onde a greve de sexo é um instrumento de luta das esposas, neste caso numa guerra particular: contra a violência cometida por seus companheiros dentro do espaço privado.

A película inicia com o assassinato de mama Beatrice. Ao descobrirem que foi seu marido o autor do crime as mulheres começam a se organizar no mercado e propõem uma greve de sexo não apenas para que o assassino de Beatrice seja punido, mas também para protestar contra a violência doméstica: contra o marido que espanca, estupra, se apropria do dinheiro do trabalho de suas esposas…

Ao longo do filme outras mulheres vão se fortalecendo e entendendo o poder de se protegerem umas às outras, é uma lição de sororidade. Mas não param por aí, elas querem mais, querem poder decidir no campo da política institucional, querem se candidatar e fazer política para a mulheres.

O filme tem uma abordagem dos direitos humanos sem academicismo, numa linguagem popular que atinge um espectro muito maior que a do ativismo feminista e convida as mulheres a tomar as rédeas de seu futuro.

É muito importante quando cineastas trabalham com humor, sensibilidade temas sensíveis na sociedade e fazem do cinema um espaço de debate e educação. No Brasil, infelizmente, o meio mais popular que é a televisão continua permitindo a presença dos Petrix ano após ano.

Felizmente, não sem protestos como bem relatou Clara Averbuck aqui.

Que possamos nos inspirar com a produção de Nolywood e suas diretoras comprometidas na luta contra a violência doméstica.

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum