sexta-feira, 18 set 2020
Publicidade

30 Rock e Mad Men lideram as indicações do Golden Derby TV Award


30 rock recebeu o recorde de 17 indicações incluindo os de melhor ator e atriz para Tina Fey e Alec Baldwin. E Mad Men é o drama com maior número de indicações totalizando 10.
Confira abaixo os outros indicados:

Melhor Série de Comédia:
Chuck
How I Met Your Mother
The Office
Pushing Daisies
30 rock


Melhor Ator de Comédia:
Alec Baldwin (30 rock)
Steve Carrel (The Office)
Zachary Levy (Chuck)
Lee Pace (Pushing Daisies)
Jim Parsons (The Big Bang Theory)

Melhor Atriz de Comédia:
Toni Collette (United States of Tara)
Tina Fey (30 rock)
Julia Louis-Dreyfus (The New Adventures of Old Christine)
Eva Longoria (Desperate Housewives)
Mary Louise Parker (Weeds)

Melhor Série de Drama:
Battlestar Galactica
Breaking Bad
Friday Night Lights
Lost
Mad Men

Melhor Ator de Drama:
Kyle Chandler (Friday Night Lights)
Bryan Cranston (Breaking Bad)
Micheal C. Hall (Dexter)
Jon Hamm (Mad Men)
Hugh Laurie (House)

Melhor Atriz de Drama:
Gleen Close (Damages)
Calista Flockhart (Brothers and Sisters)
January Jones (Mad Men)
Mary McDonnell (Battlestar Galactica)
Anna Paquin (True Blood)
Ellen Pompeo (Grey’s Anatomy)

Sabe o que é muito chato nesses prêmios de séries? Eles são muito repetitivos, todo ano são os mesmos indicados até que alguma série campeã de indicação saia do ar, ou seja, de 5 em 5 anos mais ou menos é quando eles alteram a lista de indicados. Ok, 30 rock é ótima, mas já fica meio cansativo, faz três anos que eles ocupam todas as indicações de comédia. Ainda bem que The New Adventures of Old Christine foi agora cancelada, Julia Louis-Dreyfus vai deixar um lugar vago no ano que vem. E enquanto House estiver no ar, Hugh Laurie estará nas premiações.

Cesar Castanha
Cesar Castanha
Do encanto com os créditos de abertura de "Alice no País das Maravilhas", visto religiosamente sempre que exibido nas tardes de sábado pelo SBT, veio a paixão pelo cinema como experiência estética, transformadora e expressão de uma ideia, uma história ou do próprio experimento. Por amar o cinema para além dos padrões de qualidade impostos a ele pela mídia, por outras instituições e até por uma crítica datada, veio o meu amor por conversar sobre cinema, aderi-lo, defendê-lo, apropriar-me dele. O Milos Morpha é uma conversa sobre cinema. Aqui, o texto nunca é certo e definitivo. O cinema não é uma fórmula para que cada cineasta se aproxime da solução mais correta, é um conjunto de experiências artísticas que já dura mais de 100 anos, é dessa forma que criticamente percebemos e experimentamos o cinema no Milos Morpha.