Milos Morpha

por Cesar Castanha

12 de abril de 2010, 19h51

Séries de Segunda – “the 4400”

Quase esqueci da coluna de hoje, pô!

Mas vamos lá: a série de segunda de hoje é “The 4400“. Lançada em 2004, teve 4 temporadas, tendo sido cancelada (ahhh!) em 2007. sem final. Muito errado isso, desleal com quem acompanha a série (só não é pior do que fazer o que fizeram com pushing daisies, que por sinal, será a próxima série de segunda. otima ideia!).
Resumindo o plot: Durante os ultimos 50 anos, milhares de pessoas desapareceram misteriosamente sendo abduzidas por uma luz azul vinda do céu. Guarda bem essa informação, tá? Milhares de pessoas, de 1946, 1960, 2001, 1995, 1973… sumiram sem deixar vestigios. M.I.A. total. Aaaatualmente, a humanidade tem que lidar com um problema maior: um cometa enorme muda de rota e decide acertar a Terra em cheio. As nações do mundo tentam se defender com seus foguetes e armas nucleares, mas tudo é em vão – diante da destruição iminente, o mundo pára (metaforicamente falando, bobinh@!) mas… inexplicavelmente, o cometa desacelera e “pousa” no quintal da NTAC (The National Threat Assessment Command). Lá chegando, a bola de luz – azul – desaparece, deixando 4400 pessoas completamente atordoadas e sem a menor ideia de onde, quando e porque. Estas pessoas são colocadas em quarentena e descobre-se posteriormente que elas são aquelas que desapareceram no começo do parágrafo, sendo que inacreditavelmente, elas não envelheceram nem um dia! Depois de muito bafafá, as pessoas vão sendo liberadas e tentam se reinserir no mundo: alguns, sumiram há apenas alguns meses, outros, há varios anos como é o caso do (clichê!) filho do detetive Tom Baldwin (atualmente o padre, na sem sal “V”) que, junto com Diana Skouris, são responsaveis por investigar a bagaça. Só que, depois que a galera foi liberada, descobre-se (sempre da pior, mais catastrófica e absurda) maneira possível que a elas foram concedidas algumas habilidades especiais (desde ler mentes, telecinese e outras coisas x-mênicas até o dom de reincarnar Jesus). SPOILER ALERT: (passe o mouse para ler) posteriormente, descobre-se que os 4400 foram abduzidos por pessoas do futuro que acreditavam que poderiam salvar a humanidade (de quê? nunca saberemos ja que a serie foi cancelada antes de explicar isto) com os dons que lhes foram concedidos. FIM DO SPOILER.
A primeira temporada é curtinha e tem pegada de minissérie, já as 3 seguintes tem formato de mid-season (13 eps) e expandem bastante o que foi apresentado na 1a. temporada. Entretanto, o formato dos episódios é praticamente o mesmo, mantendo uma linha (tipo fringe, sabe?): acontece algo estranho. Skouris & Baldwin são chamados, descobre-se que foi causado por um 4400, neutraliza-se o problema. E mesmo sendo um formato meio batido, alguns episódios surpreendem pela criatividade: o episódio que nos apresenta a Jordan Collier (JC, Jesus Christ anyone?) é incrivel; o episódio da realidade paralela de Tom onde ele passa 8 anos casado com outra mulher; o episódio da ira de Graham, com o otimo cameron bright; o surgimento da promicina, droga que pode “ativar” as capacidades especiais em pessoas normais (com 50/50 de chances de virar x-men ou morrer…); a terra prometida comandada pelo JC; etc.
Infelizmente, apesar do cliffhanger do ultimo episódio da 4a. temporada, a série foi cancelada por “problemas de orçamento e baixa audiência” e ficou sem final. Rolaram varias petitions na internet e até um hoax de que seria produzido um episódio especial de 2h / filme para TV pra contar o final da série – tudo mentira.
No geral, 4400 é uma série que pega um tema antigo (superhumanos) e o recicla em uma nova roupagem, de maneira inteligente e cativante. O conflito primordial do ser humano em contato com muito poder (a maneira como usá-lo, como o poder corrompe) é algo bem explicito e explorado na série, assim como o que é realmente a evolução e até que ponto estamos dispostos a ir para obte-la.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum

#tags