o colunista

por Cleber Lourenço

O que o brasileiro pensa?
01 de julho de 2020, 22h53

A campanha eleitoral e a pseudo-democracia de Deltan e a Lava Jato

Leia na coluna de Cleber Lourenço: "Para a Lava Jato, já é 2022"

Foto: Agência Brasil

Chegamos em mais um dia do embate entre a Lava Jato contra a Constituição e as instituições. Agora, descobrimos que a força-tarefa suprimiu os sobrenomes de Alcolumbre e Maia em ação, já que possuem foro privilegiado, e não poderiam ser investigados pela operação.

Eles negam que teriam investigado autoridades com foro e até mesmo que omitiram nomes em denúncia.

Algo contrastante com o histórico da operação que, em 2016, se incomodou com a publicação de documentos da Odebrecht, incluindo uma lista de políticos investigados que teriam foro privilegiado.

No mesmo ano ainda investigaram ilegalmente o ministro Dias Toffoli e planejaram coletar informações para incriminar Gilmar Mendes. Tudo ao arrepio da lei.

E agora o grupo reforça ainda mais a sua estridência de desejos eleitorais através de Deltan Dallagnol, que publicou em seu Twitter o seguinte post:

Acontece que, com o naufrágio do radicalismo de direita no país, Deltan, líder de uma força-tarefa que surfou e estimulou o radicalismo no Brasil, agora tenta se colocar como social-democrata.

Sim, o ‘timing’ perfeito em um momento onde diversas frentes pela democracia surgem ao redor do país e nenhuma convida Moro ou outros lavajatistas para a composição. E com razão.

Eu já falei em outras colunas: para a Lava Jato, já é 2022.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Fórum


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum

#tags