o colunista

por Cleber Lourenço

O que o brasileiro pensa?
02 de julho de 2020, 22h34

Bolsonaro será “liberado” dos filhos

Leia na coluna de Cleber Lourenço: Nos últimos dias os três filhos do presidente podem ter sido atirados para escanteio junto com os radicais de carteirinha, como Sara Winter e o sofrível Oswaldo Eustáquio

Arquivo

Além da extrema incapacidade do presidente, os filhos de Jair Bolsonaro também geram imensas dificuldades e atritos desnecessários com as instituições, dentro da própria extrema-direita já há a piada sobre a prole problemática.

Reparem na “conveniência”. Nos últimos dias os três filhos do presidente podem ter sido atirados para escanteio junto com os radicais de carteirinha, como Sara Winter e o sofrível Oswaldo Eustáquio.

Nas avaliações dos demais poderes e instituições, dificilmente a aprovação do presidente ficará baixa para a viabilização de um impeachment, e também há a preocupação de que um processo para a sua deposição feito de forma afobada poderia causar o efeito contrário e fortalecê-lo.

Carlos Bolsonaro perdeu foro especial em investigação em caso envolvendo funcionários fantasmas, Flávio certamente perderá o foro que acabou de ganhar no caso das rachadinhas e Eduardo entrou na mira da PGR, que apura se o deputado federal cometeu crime de subversão da ordem democrática.

Por isso a estratégia é clara: isolar o presidente e tentar levar alguma “tranquilidade” até o 2022 colocando os delinquentes, arruaceiros e agitadores para escanteio. Queira ou não, o Brasil precisa arcar com as péssimas escolhas que fez e essas péssimas escolhas infelizmente custarão muitas vidas.

Ontem mesmo eu pontuei: os lavajatistas perceberam que não há espaço para radicais e extremistas e, depois de passar os últimos quase 10 anos insuflando a extrema-direita e enquadrando a democracia, decidiram agora “trocar de roupa”.

E não será a ação no TSE que irá encurtar o mandato do Bolsonaro.

A variável em questão é: Bolsonaro irá assistir a queda de seus filhos um por um e protestando dentro dos limites institucionais e constitucionais? E mais! Até onde irão avançar as investigações?

Caso as coisas fiquem realmente graves, o presidente precisará ter algumas coisas em mente. O Exército já desembarcou de vez. Se antes não estava na intentona direitista, agora está mais longe ainda, logo, Bolsonaro não possui nenhum recurso humano para avançar contra as instituições.

O mais provável é que seguiremos até 2022 com um governo inexpressivo, fraco e que deixará como marca a incompetência. Serão anos difíceis para o país.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Fórum


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum