o colunista

por Cleber Lourenço

#Fórumcast, o podcast da Fórum
05 de julho de 2019, 06h00

CPMI das fake news e o bolsonarismo em desencanto

Cleber Lourenço: “O bolsonarismo está cada vez mais encastelado em suas convicções fora da realidade e, aos poucos, entramos em um terreno perigoso”

Foto: Agência Brasil

A instauração da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) sobre as fake news mostrou que a base do governo segue dinamitada, se há alguma base, além das camisas de força e da truculência do PSL, é claro.

A derrota também mostrou que, ao primeiro sinal, o impeachment poderá passar sem muito esforço, com um governo fragilizado. É o bolsonarismo em desencanto.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo.

Outro ponto também que me chamou a atenção foi que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, ao autorizar a CPMI, deixou claro os motivos que levaram a cabeça de Onyx estar a prêmio. Alcolumbre foi colocado na presidência do Senado em uma articulação pra lá de atrapalhada do ministro-chefe da Casa Civil, que era tido como mentor do atual presidente do Senado. No entanto, ele mostrou que é independente. E mais, faz parte do mesmo grupo político de Rodrigo Maia, que é contrário ao ministro.

Acontece que Onyx, que nunca foi um político habilidoso ou relevante, agora desempenha seu trabalho como ministro com a mesma relevância de quando era parlamentar. Ele está sumido e no planalto bolsonarista todos nós sabemos o que isso significa.

Outra coisa que a CPMI deixou claro: caso a reforma passe, será inteiramente por causa de Rodrigo Maia, e na articulação do centrão, não há um dedo sequer do governo, se não o lobby para os policiais. Fora isso, se dependesse do governo poderíamos dormir tranquilos sabendo que a reforma jamais seria aprovada.

O que é engraçado, já que nas últimas manifestações bolsonaristas eles diziam apoiar a reforma da Previdência, enquanto atacavam o centrão. Logo o centrão, que é fiador da reforma defendida por eles. Risos.

Acontece que Bolsonaro, como um bom populista, não possui coragem para enfrentar o ônus de tocar uma reforma impopular e nociva aos trabalhadores. Então, uniu-se o útil ao agradável, a incapacidade e a covardia. Abriu-se caminho para Rodrigo Maia.

O bolsonarismo está cada vez mais encastelado em suas convicções fora da realidade e, aos poucos, entramos em um terreno perigoso. Quanto mais encurralado e isolado se torna o governo, mais arisco e hostil ele fica. O mesmo processo acontece com Moro, conforme relatei aqui mais cedo.

O mercado, aos poucos, vai desembarcando e abandonando Jair Bolsonaro, com raras exceções, como os fanáticos do grupo empresarial Brasil 200. Os ataques contra as instituições irão se intensificar.

Agora, a única coisa que não dá para entender é o desespero do PSL como um todo com a comissão. Já está entrando com ações no STF e recursos em tudo quanto é instância. Não entendo o desespero! Não são eles que vivem pregando a máxima do “Quem não deve não teme?”. Se esta é a lógica, do que o PSL tem medo?

Desafio os bolsonaristas de plantão a me dizerem qual é o medo de uma CPMI sobre fake news nas eleições.

O recado mais importante que a CPMI poderia nos dar é: o governo não tem como se defender de um impeachment.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum