o colunista

por Cleber Lourenço

Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
22 de janeiro de 2020, 15h05

Falhas no Enem e Abraham Weintraub: é tudo parte de um projeto

As falhas no Enem e os cortes de investimentos em educação tem como único objetivo sabotar a educação pública e privilegiar a iniciativa privada

Bolsonaro e Weintraub (Foto: Foto: Gabriel Jabur/MEC)

Antes mesmo de assumir o governo, Jair Bolsonaro já demonstrava interesse de acabar com o Enem e com a educação pública de qualidade, o que acabou fazendo com a colaboração do ministro da educação, flagrantemente inepto para o cargo, quase que um analfabeto funcional regendo a pasta da educação.

No último ano a pasta usou apenas 8% do orçamento pra educação infantil, 7% pra profissional e só 4% pra básica. Onde foi parar o resto? Não sei! Mas isso é o que chamam de eficiência administrativa. Matar de inanição a educação pública no país.

A situação no ensino superior é muito mais grave, pois não é só o sucateamento, não só o presidente como também seus apoiadores também encamparam uma campanha para destruir a credibilidade das universidades.

Leia também: Uma educação em maus lençóis

Paulatinamente alguém aparece para falar mal, inventar Fake News e constantemente dizer que nas faculdades só há esbórnia e maconha. O que é uma tremenda mentira.

E quando não estão falando mal da educação e do ensino superior, estão sistematicamente provocando falhas e problemas que dinamitam a sua credibilidade.

O Enem é o segundo maior exame de vestibular do planeta! Perdendo apenas para a China! E é o principal reposta em pelo acesso de milhões de brasileiros ao ensino superior. Qual o primeiro passo para destruir? Primeiro passo é tirar sua credibilidade.

Acaba com o acesso ao mesmo tempo que ataca as universidades, e assim destrói a educação, a produção científica e tecnológica, o progresso e a soberania do país em um projeto começado lá no governo Temer.

É tudo muito grave e acima de tudo na mais fina sintonia com os objetivos do desvairado ministro da economia, Paulo Guedes, que disse nesta terça-feira, em Davos, que o governo deve apoiar um grande programa de vouchers para educação na primeira infância como parte de sua agenda para o combate à desigualdade.

Leia também: Há uma trama assustadora em curso no MEC

Em resumo seria o desinvestimento em educação pública de qualidade em detrimento de pagar grandes quantias de dinheiro público para estabelecimentos privados. Não dará certo, já não deu certo no Chile.

O modelo neoliberal de Guedes segue à risca a cartilha de desleixo com a sociedade e as responsabilidades do Estado já que, repassa as responsabilidades do mesmo para o cidadão.

Ainda sobre o caso chileno, estudos

Ainda sobre o caso chileno, foram necessárias inúmeras reformas, redistribuições e correções para atenuar as falhas do sistema de vouchers, a fragilidade deste sistema se encontra inclusive no fato de que uma vez que uma responsabilidade do Estado é repassada ao cidadão diversos problemas e diferenças socioculturais são ignoradas.

Leia também: Por que tirar 10 na prova se eles podem tirar o 38 da mochila?

As falhas no Enem e os cortes de investimentos em educação tem como único objetivo sabotar a educação pública e privilegiar a iniciativa privada, transformando as dificuldades es centenas de dificuldades dos brasileiros em meras mercadorias.

Além disso a proposta ainda poderá fragilizar o já fragilizado sistema de ensino brasileiro. Tudo isso com a desculpa de que se combate um comunismo inventado e abstrato. Até quando vamos permitir e tolerar a destruição do país?

Eu tenho saudades do nosso Brasil.

Este artigo não reflete necessariamente a opinião da Fórum

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum