domingo, 20 set 2020
Publicidade

Neonazista tenta explodir hospital nos EUA para acabar com quarentena causada pelo coronavírus

Nos Estados Unidos, o FBI matou a tiros na última terça-feira um homem que planejava bombardear um hospital depois que ficou frustrado com a ação do governo para impedir a propagação do coronavírus.

O FBI diz que o homem que morreu no tiroteio era Timothy Wilson, 36 anos. O incidente ocorreu quando agentes tentaram prender Wilson, que estava armado.

Segundo o FBI, Wilson foi alvo de uma investigação de terrorismo doméstico e a investigação revelou que ele era um extremista de direita potencialmente violento, motivado por ódios raciais, religiosos e antigovernamentais.

Após a pandemia de coronavírus e os subsequentes esforços de distanciamento social implementados pelos governos locais, Wilson “decidiu acelerar seu plano de usar um dispositivo explosivo improvisado veiculado em veículo na tentativa de causar danos graves e baixas em massa”, de acordo com um comunicado de imprensa da FBI.

Wilson decidiu bombardear um hospital da região e tomou medidas para obter os materiais necessários para construir o dispositivo explosivo. O FBI não identificou o hospital que Wilson pretendia atingir.

O tiroteio ocorreu depois que o FBI tentou prender Wilson quando ele chegou para pegar o que pensava ser um caminhão-bomba.

Wilson foi levado ao hospital onde foi declarado morto na noite de terça-feira. Nenhum outro civil ou policial foi ferido.

A Divisão de Inspeção do FBI está lidando com a investigação.

O FBI inclusive publicou um relatório sobre o ocorrido e você pode conferir abaixo:

Epidemia de terrorismo de extrema-direita

De acordo com dados compilados pelo Nation Institute e pelo Center for Investigative Reporting e publicados em 22 de junho de 2017, a extrema-direita é responsável pelo dobro de ataques terroristas em solo americano entre os anos de 2008 e 2016

Dos 201 incidentes terroristas reportados, sendo que 115 deles foram cometidos por seguidores de ideologias de direita, tanto os chamados defensores da supremacia branca e do nazismo.

Cleber Lourenço
Cleber Lourenço
Não acho que o debate politico e o jornalismo precisem distribuir informação de forma fria e distante dos leitores, notícias são somente úteis no contexto do cotidiano e é nisso que acredito. E-mail: [email protected]