o colunista

por Cleber Lourenço

#Fórumcast, o podcast da Fórum
08 de julho de 2019, 13h50

O holocausto é perdoável, mas as lagostas não

Cleber Lourenço: “Para os israelenses da embaixada fica a dúvida: Possuem vergonha de tirar fotos com uma lagosta, mas não têm de tirar fotos com um presidente que afirma que o holocausto é perdoável"

Foto: Reprodução/Twitter

Antes de começar o texto, acredito ser mais do que justo apresentar o contexto:

Antes da final da Copa América entre Brasil e Peru, o presidente Bolsonaro e o embaixador de Israel almoçaram juntos em Brasília. Ambos iriam acompanhar a partida após a refeição, a qual teve como prato principal duas lagostas.

Até aí algo inocente, longe dos noticiários, de fato um evento não noticioso se não fosse um gritante ponto…

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Um prato de comida foi censurado. Bolsonaro e o embaixador de Israel almoçaram lagosta, comida considerada impura pela lei judaica. Daí a embaixada resolveu RABISCAR o prato na foto oficial. Só faltou a sobremesa ser bolo de laranja.

Pergunto-me, em tom de preocupação, se nem a lagosta escapou, o que pode e poderá acontecer com notícias, dados e informações negativas do governo federal?

Em país com uma escalada de autoritarismo diária, com um ministro da Justiça que, aparentemente, busca transformar a PF em uma Gestapo, o que mais nos é reservado?

O presidente já mostrou sua pré-disposição para censura prévia, quando disse que gostaria de inspecionar o Enem, e no episódio envolvendo o a propaganda do Banco do Brasil. Além disso, o governo também já omitiu informações sobre a reforma da previdência. Então, qual o próximo passo?

Para os israelenses da embaixada fica a dúvida: Possuem vergonha de tirar fotos com uma lagosta, mas não têm de tirar fotos com um presidente que afirma que o holocausto é perdoável; tira fotos com pessoas fantasiadas de nazistas e que não fez qualquer declaração sobre a homenagem do Exército brasileiro para um oficial nazista, que lutou e foi condecorado pelas forças do eixo no auge da segunda guerra mundial.

O embaixador precisa (com urgência) rever seus conceitos de vergonha.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum