O sistema de inteligência privado do presidente Jair Bolsonaro existe

Leia na coluna de Cleber Lourenço: A declaração de Bolsonaro divulgada hoje apenas comprovou aquilo que eu já suspeitava: o presidente montou uma Abin informal e não só espiona, como persegue opositores

Desde dezembro do ano passado eu venho apontando para uma série de “coincidências” que mostram que Jair Bolsonaro anda grampeando e perseguindo opositores de maneira clandestina.

A declaração de Bolsonaro divulgada hoje apenas comprovou aquilo que eu já suspeitava: o presidente montou uma Abin informal e não só espiona, como persegue opositores.

Dezembro

No dia 19 de dezembro Bolsonaro disse: “Vocês sabem o caso do Witzel, foi amplamente divulgado aí, inteligência levantou, já foi gravado conversa entre dois marginais citando meu nome para dizer que eu sou miliciano. Armaram.”

No final de semana anterior, um vídeo onde um deputado afirmava que Witzel forjou conversas de milicianos para ligar Bolsonaro ao caso Marielle bombou na web.

Veja, no dia 13 de dezembro Bolsonaro disse: “No caso Marielle, outras acusações virão. Armações, vocês sabem de quem”.

E então, cinco dias depois, no dia 18 dezembro, uma quebra de sigilo revelou mensagens indicando que Adriano da Nóbrega, miliciano envolvido no assassinato da vereadora Marielle, falou com Queiroz sobre a exoneração de ex-mulher do gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro.

A pergunta que todos deveriam estar fazendo é: seria correto o presidente saber de qualquer coisa envolvendo uma investigação que teu seu filho como alvo?

Não é possível que Bolsonaro estivesse apenas jogando palavras ao vento.  Depois descobrimos que a operação estava toda comprometida.

Abril de 2020

Em abril, segundo a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, Bolsonaro disse a parlamentares que recebeu um suposto dossiê com informações de inteligência de que Rodrigo Maia, o governador João Doria e um setor do STF estariam tramando um plano para dar um golpe e tirá-lo do governo.

Ainda em abril, mais precisamente no dia 28, o jornalista e militante bolsonarista Luís Ernesto Lacombe publicou em seu programa na Rede Bandeirantes um áudio da deputada federal Joice Hasselmann onde ela teria pedido a criação de perfis para militância em redes sociais.

Acontece que, no dia anterior, um vídeo publicado pelo deputado Carlos Jody (PSL-RJ) passou despercebido, nele Bolsonaro diz:

“Se eu tivesse um áudio de uma deputada muito conhecida aí, ela passando para uma pessoa, falando o seguinte: Olha, cria mais uns perfis falsos aí para atacar fulano de tal. Acha que ia pegar mal para essa deputada?”.

E então, no dia seguinte, tivemos a publicação do áudio pelo jornalista. Estranho, não? E hoje foi revelado que, na reunião ministerial do dia 22 de abril, Bolsonaro disse que teria um serviço próprio de inteligência.

O teor de tudo que foi revelado hoje é muito grave, principalmente o que foi dito por Bolsonaro que não se poupou em ameaçar a segurança nacional, o Estado Democrático de Direito e a Constituição Federal.

Ainda farei mais algumas colunas sobre o assunto conforme eu for apurando o que foi dito. O final de semana será longo….

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Fórum

Avatar de Cleber Lourenço

Cleber Lourenço

Não acho que o debate politico e o jornalismo precisem distribuir informação de forma fria e distante dos leitores, notícias são somente úteis no contexto do cotidiano e é nisso que acredito.

E-mail: cleber@ocolunista.com.br