Blogs

Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
02 de dezembro de 2019, 14h40

Trump vira mais um personagem no impeachment do Seu Jair

Bolsonaro foi eleito com o objetivo de ser o capataz do mercado financeiro: executaria as propostas impopulares de interesse do mercado. Acontece que o atual presidente do país é tão incompetente que sequer conseguirá cumprir o seu papel de boi de piranha e poderá ser devorado antes

Bolsonaro e Trump em encontro na Casa Branca (Reprodução/TV Globo)

Faz alguns dias que estou alertando para o que está se desenhando: um impeachment.

Bolsonaro certamente já é o presidente que mais cometeu crimes de responsabilidade. O que falta é interesse da classe econômica e política para derrubá-lo.

Bolsonaro foi eleito com o objetivo de ser o capataz do mercado financeiro: executaria as propostas impopulares de interesse do mercado. Para, assim, preservarem os nomes mais “simpáticos” para os próximos pleitos. Acontece que o atual presidente do país é tão incompetente que sequer conseguirá cumprir o seu papel de boi de piranha e poderá ser devorado antes.

Os principais porta-vozes do mercado e veículos de mídia já começam a “pincelar” a impossibilidade de permitir a conclusão do mandato do presidente de Jair Bolsonaro e seus descalabros.

Nos últimos dias, eu comentei sobre o pânico do governo e qual seria o motivo da escalada do ódio ter se aprofundado. Além disso, também comentei por aqui que uma fundação mantida pelas principais empresas e corporações do Brasil e do mundo também fez duras críticas ao governo Bolsonaro e pontuou a escalada do autoritarismo.

E agora o empresariado brasileiro terá mais um motivo para se irritar com Seu Jair: a restauração das tarifas americanas sobre o aço brasileiro, que faz parte dos produtos semimanufaturados de aço e ferro e são a segunda principal exportação brasileira aos Estados Unidos, atrás só de petróleo bruto. Foram US$ 2.25 bi exportados esse ano até outubro.

Com a carne sumindo dos supermercados, desemprego e informalidade em alta e ainda a redução do poder de compra dos brasileiros por culpa de medidas do governo, surge o cenário perfeito para uma crise sem precedentes no Brasil

Mas se há algo que aprendemos este ano é que nada é tão ruim que não possa piorar. No mesmo dia em que o país tomou uma rasteira dos americanos, o governo ainda se encarrega de abalar as relações com um dos nosso mais importantes parceiros comerciais. Ao priorizar Taiwan em visto eletrônico, o Brasil abre caminho para uma crise com China.

O saldo de hoje é resultado do trabalho do Chanceler Ernesto Araújo, que é mais uma das várias nomeações com viés puramente ideológico e nenhum rigor técnico e que faz parte do Hall de ministros amalucados do Planalto.

Se havia quem ainda tivesse dúvidas sobre a incompetência e o amadorismo do governo atual, pode deixar registrado que o dia 2 de dezembro de 2019 chega como uma espécie de atestado para estas questões.

Repito: a agenda econômica de Paulo Guedes acabou e com isso a segurança que esse governo tinha. Só resta se apoiar na pauta ideológica e em Sérgio Moro e a criminosa lava jato, que tem entre seus quadros um procurador acusado de receber suborno e tantas outras estranheza que fazem mal ao Estado democrático de direito.

Graças aos pífios resultados entregues pelo governo, é muito provável que começaremos o ano de 2020 discutindo o processo de impeachment ou até mesmo o processo já sendo iniciado.

E ainda digo mais: se realmente um processo de impeachment for instaurado, infelizmente não será graças a oposição, que até o momento não foi capaz de impor grandes dificuldades ao presidente.

Crimes de responsabilidade não faltam ao governo e até mesmo aos ministros, basta escolher.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum