Karol Conká usa tese racista de que indígenas aceitaram dar terras em troca de espelhos

Declaração dada em conversa com Lumena despertou reações nas redes

A cantora Karol Conká voltou a causar polêmica no Big Brother Brasil 21 nesta terça-feira (16) ao comentar sobre a amizade de três participantes do reality show.

Enquanto Lumena dizia que atriz Carla Diaz se aproveitava do fato de João Luiz e Camilla de Lucas serem negros, Karol fez uma correlação com a colonização e usou de uma tese considerada racista contra os povos indígenas.

“Eles aceitam migalhas. Aceitam espelhinho, entrega as terras em troca de espelho”, disse a rapper.

A declaração despertou reações nas redes. “A Karol Conká em conversa com Lumena propagando racismo anti-indígena. Ninguém trocou terra por espelhos, nossos povos tiveram suas terras invadidas e foram escravizados nelas. Quando for o paredão das duas vou votar até o dedo cair”, escreveu a comunicadora indígena @Karibuxi.

“Falaram tanto que Lucas tinha militância egoica mas no fundo é que só elas queriam ‘militar’ na casa. Não aguentaram o fato de Lucas ser de luta e linha de frente. Mas racismo anti indígena, ‘mamacita fala vagabundo senta’, transfobia, assédio psicológico não é ‘militância'”, completou.

Conká é acusada de ter promovido tortura psicológica contra o ex-BBB Lucas Penteado e ter dado declarações xenofóbicas contra a paraibana Juliette Freire.

Assista:

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.