sábado, 31 out 2020
Publicidade

Motorista do conversível do Leblon tentou se candidatar pelo partido Novo

Wilton Vacari Filho não foi registrado no TSE, mas se diz "apaixonado" pelas ideias liberais do partido

O homem que dirigia o conversível que provocou uma confusão no Leblon, no Rio de Janeiro, no último sábado, é técnico da Refinaria Duque de Caxias (Reduc), da Petrobras, e tentou ser candidato à vereador pelo Partido Novo, mas acabou não sendo inscrito no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Wilton Vacari Filho participou do “processo seletivo” da legenda.

“Assim que comecei a pesquisar os partidos e conheci o Novo, simplesmente parei de ver os outros partidos. Fiquei apaixonado. Os princípios e valores que o partido traz, as ideias liberais são muito próximas às minhas”, diz em vídeo publicado durante o processo seletivo.

Segundo ele, a candidatura tinha como objetivo “realizar o sonho de ajudar as pessoas” e escolheu o Novo por ter ideia “apaixonantes”. “Quando o partido ficar realmente conhecido, ele vai crescer numa PG absurda e vai com certeza dar muitos frutos ainda”, declarou.

Vacari Filho dirigia o carro que aparece na cena da briga do Leblon que viralizou nas redes sociais, onde o veículo conversível – ocupado por ele e duas mulheres de biquini – é alvo de moradores do bairro que se aglomeravam em um bar. Uma das presentes no estabelecimento – apoiadora de Jair Bolsonaro – arremessou um copo contra uma das mulheres e a chamou de “moça da vida e drogada” nas redes sociais.

Com informações do DCM

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.