Padre Robson, da Instituição Pai Eterno, é acusado de corrupção e desvio de dinheiro

De acordo com o MP, todas as negociações resultaram em prejuízo para a instituição criada pelo padre

O padre Robson de Oliveira Pereira, fundador e presidente da entidade cristã Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), é investigado pelo crime de corrupção e desvio de dinheiro em transações imobiliárias.

Na sexta-feira (21), ele foi alvo de uma operação do Ministério Público de Goiás (MP-GO) que investiga o desvio de doações de católicos do Santuário Basílica de Trindade, cidade na Região Metropolitana de Goiânia conhecida como a “capital da fé” do estado, para a compra de imóveis de luxo do padre.

De acordo com o Ministério Público, chamou a atenção dos promotores que todas as negociações sempre resultaram em prejuízo para a instituição criada por ele. A informação é do jornal Extra.

O MP cita como exemplo o caso de um terreno comprado pela instituição de Pereira em Trindade e que foi repassado à empresa KD Administradora de Bens pelo mesmo valor.

Na decisão da juíza Placidina Pires, da Vara de Feitos Relativos a Organizações Criminosas e Lavagem de Capitais, a KD Administradora de Bens negociou “dezenas de imóveis” com a Afipes que, em todos os casos, representaram “evidente prejuízo” para a entidade comandada por Padre Robson.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.