escrevinhador

por Rodrigo Vianna

29 de março de 2020, 06h19

Bolsonaro encolhe, é enquadrado por militares e pode ser forçado à renúncia

Os bastidores e a análise de Rodrigo Vianna dos cenários, depois que o presidente foi obrigado a recuar na gestão da crise do coronavírus


+ posts

19 de junho de 2019, 22h06

Moro encolhe, mas resiste no Senado

Rodrigo Vianna: "Em vez de um juiz acima do bem e do mal, ele virou um político que pode ser criticado e precisa ser defendido; Moro se agarra ao eleitorado bolsonarista mais radical e aposta nas manifestações do dia 30 de junho"


17 de junho de 2019, 10h55

Bolsonaro dá mais sinais de que aposta na ruptura

Moro e Guedes viram sócios na estratégia de construir um governo "anti-sistema"


11 de junho de 2019, 10h31

Globo defende a Lava-Jato e “empata” o jogo

Emissora segue a agir como partido, que organiza o discurso conservador no Brasil e tenta salvar a imagem de Moro


24 de Maio de 2019, 22h12

Bolsonaro e a lógica do “governo sitiado”

Rodrigo Vianna: “As manifestações do dia 26 podem ser o termômetro para se saber se o capitão terá forças para resistir, ainda que isolado das elites tradicionais”


04 de fevereiro de 2019, 14h44

O pacote de Moro e os 3 coringas da restauração conservadora

A simbologia de um superministro que segue agenda própria e "fatura" individualmente com o pacote, enquanto o presidente segue enfraquecido no hospital, diz muito sobre esse governo


30 de janeiro de 2019, 15h11

Realismo fantástico e abuso de poder: Lula, Toffoli, Moro e o corpo de Vavá

Toffoli cravou esse carimbo na testa dos lavajateiros: abusaram de autoridade. Usaram togas e prerrogativas policiais para fazer politica.


22 de outubro de 2018, 10h12

Ditadura e cerco militar: de salto alto, Bolsonaro abre o jogo antes da hora e gera reações no STF e na mídia

Avaliação geral é de que Bolsonaro errou a mão. Ao anunciar que planeja prender e exilar opositores, pretendia espalhar medo e desorganizar o outro lado. Gerar pânico. Mas subiu no salto alto, ao falar cedo demais. Deixou claro, didaticamente, que o programa bolsonariano é a ditadura. Foi um tapa na cara dos iludidos: acordem! A reação de FHC, a fala do jornalista conservador William Waack, e a declaração do ministro do STF Celso de Melo - todos indignados com o avanço autoritário - são indicadores de que Bolsonaro abriu uma brecha para sensibilizar mais gente a votar contra o desastre.


26 de setembro de 2018, 18h49

Bolsonaro estaciona, Haddad cresce, e Ciro segue a ser fundamental

É preciso incorporar todos setores democráticos para enfrentar o fascismo. Sem arrogância e sem colocar a fidelidade canina ao "petismo" à frente dos interesses do Brasil. Quando Haddad estava mais voltado a defender Lula, e a consolidar a transferência de votos, foi Ciro quem assumiu o papel de confrontar a direita no debate econômico e também no campo dos costumes. Alguém precisava chamar Mourão de “jumento”, e Bolsonaro de “nazista filho da puta”. Coube a Ciro enfrentar o fascismo de peito aberto. Mas não é só isso.


21 de setembro de 2018, 22h02

Cenários na reta final: Haddad, Bolsonaro e as operações para criar a “terceira via”

Ciro ainda está no jogo. Mas se o quadro PT x Bolsonaro se consolidar, teremos um segundo turno duríssimo. O Rio, dessa vez, deve se inclinar para o antipetismo, votando majoritariamente em Bolsonaro. Para vencer no segundo turno, Haddad vai precisar ganhar em Minas, ter uma votação no Nordeste superior à de Dilma em 2014, e "perder de pouco" em São Paulo (60% Bolsonaro x 40% Haddad já seria lucro para o petista).


20 de agosto de 2018, 18h09

Lula dispara nas pesquisas; eleitor rejeita privatizações, e tucano Alckmin patina abaixo de 5%

Os números da pesquisa CNT/MDA apontam que (descontados brancos e nulos) Lula estaria a 2 pontos de vencer a eleição no primeiro turno. Alckmin patina, e o programa privatista - associado ao PSDB - é rejeitado pelos eleitores. Pesquisa Ibope, divulgada logo depois, indica quadro muto parecido.


17 de agosto de 2018, 12h12

Exclusivo: em reunião fechada, Banco prevê segundo turno com Bolsonaro x PT

Hoje, a maior probabilidade é de que o ex-capitão do Exército enfrente o candidato do PT (Lula ou Haddad), no segundo turno. Essa é a previsão de um dos maiores bancos de varejo brasileiros! Foi obtida com exclusividade pelo blogueiro, junto a uma fonte que participou da reunião reservada. Alckmin, segundo os donos da grana, tem chances remotas de avançar. Eleição ocorrerá sob o signo "anti-sistema" - e Lula preso e perseguido só ajuda o PT no imaginário social.