escrevinhador

por Rodrigo Vianna

Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
07 de outubro de 2014, 19h48

A implosão de Marina Silva: a candidata do “novo” faz barganha com Aécio

O tucano-marinismo forma um bloco único: essa é a realidade cada vez mais evidentepor Rodrigo Vianna

Marina Silva já havia implodido nas urnas. Agora, implode também sua imagem, e o capital que poderia carregar para 2018.

O PPS apoiar Aécio é parte do jogo. O partido sempre foi próximo dos tucanos. Mas e a “Nova” Política de Marina? O eleitor vai engolir mais esse vai-e-vem da ex-ministra?

Marina – que era de esquerda e se apresentou como alternativa, criticando o “toma lá dá cá” – agora já negocia com Aécio Neves nos bastidores. Pode até virar ministra?

Ou coisa pior: Aécio estaria oferecendo a ela “acabar com a reeleição”, assim Marina poderia ser candidata em 2018. Uai, mas não foram os tucanos que aprovaram a reeleição na época do FHC? Marina vai aceitar essa mudança de regras, na canetada, só pra acertar a vida dela?

Não é apoio a Aécio. É apoio em troca de mudança nas regras políticas para beneficiar a aliança tucano-marinista. Nova política? Sei…

Alguns amigos, jornalistas, blogueiros (e até militantes que votam em Dilma) acham que o PT “exagerou” nas críticas a Marina. Discordo dessa análise.

Marina tinha que ser confrontada, porque a partir de agosto ela virou a candidata da direita e dos liberais. Não havia como enfrentar aquela onda com meias palavras. Se o PT errou, foi por não ter enfrentado antes a adversária.

Marina e o PSDB formam um bloco único: o tucano-marinismo. Dilma, Lula e o PT precisam enfrentar os adversários em bloco. Não há escolha, nem meias-palavras.

Maior prova do que Marina significava são os movimentos que ela faz agora. A imprensa amiga do PSDB espalha a notícia de que Marina vai apoiar Aécio porque está “magoada” com a “violenta campanha movida pelo PT”.

Hehe… Marina vai apoiar Aécio porque a afinidade dela com o PSDB é hoje muito maior do que com o PT. Marina foi confrontada e criticada em agosto e setembro exatamente porque essa afinidade já era evidente.

Falo nas afinidades na Economia e nas Relações Internacionais. Marina defendeu “independência do Banco Central”, criticou Mercosul, colocou o Eduardo Gianetti e Neca Setúbal para falar nos jornais.

A consequência lógica era o apoio a Aécio. Não deve haver susto nem surpresa.

O caminho para quem apóia Dilma é procurar os eleitores de boa-fé – que acreditaram na “nova” Política de Marina – e perguntar: vocês não acham que Marina traiu a confiança de seu eleitorado?

Quem apóia Dilma não deve temer esse debate. O apoio a Aécio facilita as coisas, é didático.

Marina vai transferir votos para Aécio em São Paulo? Sim, de forma consistente. Ela teve 5,5 milhões de votos em São Paulo. Calculo que 4 milhões – pelo menos – irão para Aécio, consolidando a onda antipetista no Estado.

Mas e no Nordeste? Bem, no Nordeste Marina teve 6,5 milhões de votos. Tirando Pernambuco, onde a transferência para Aécio deve ser forte, o povo nordestino que votou em Marina não vai embarcar na canoa tucana.

É ali, no Nordeste, que a aproximação entre Marina e Aécio ficará mais claramente definida como traição.

Dilma deve ficar com 4,5 milhões dos votos marineiros no Nordeste, Aécio com 2 milhões. Esse movimento compensará São Paulo.

O PT não vai conquistar esses votos falando bem de Marina. Vai conquistá-los mostrando que o apoio de Marina a Aécio é uma traição ao povo nordestino que confiou nela.

O tucano-marinismo é um bloco. E assim precisa ser enfrentado. Em bloco.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum