escrevinhador

por Rodrigo Vianna

Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
28 de julho de 2014, 11h40

Conselho de Segurança da ONU exige cessar-fogo imediato de Israel

O principal órgão de decisão das Nações Unidas, em uma declaração assinada por todos os seus membros, pediu que ambas as partes trabalhassem para conseguir um acordo que detenha a violência de forma duradoura baseado na proposta de paz colocada pelo Egito.

Reunião extraordinária do Conselho de Segurança das Nações Unidas para analisar a situação na Faixa de Gaza.

Do Opera Mundi

O Conselho de Segurança  da ONU exigiu nesta segunda-feira (28/07) a israelenses e palestinos um “cessar-fogo humanitário imediato e incondicional” que se prolongue durante a festividade árabe do Eid ul-Fitr. O principal órgão de decisão das Nações Unidas, em uma declaração assinada por todos os seus membros, pediu que ambas as partes trabalhassem para conseguir um acordo que detenha a violência de forma duradoura baseado na proposta de paz colocada pelo Egito.

Em declarações aos jornalistas após a reunião do Conselho, o representante palestino na ONU, Riyad Mansur, lamentou que o Conselho de Segurança não tenha sido capaz de aprovar uma resolução para condenar a “agressão” israelense e exigir que se os ataques se detenham.
A maioria dos muçulmanos dos países do Oriente Médio inicia nesta segunda-feira as festividades do Eid ul-Fitr. O primeiro dia do Eid ul-Fitr põe fim ao Ramadã, mês especialmente venerado por ser o período em que foi revelado a Maomé o Corão, e durante o qual os fiéis adultos devem abster-se de comer, beber, fumar e manter relações sexuais entre o nascer e o pôr do sol.

Em Gaza, as hostilidades diminuíram nesta segunda, segundo informações de meios de comunicação e agências de notícias. O jornal israelense Yediot Aharonot informou que as tropas no terreno receberam a ordem de não efetuar operações ofensivas. Elas estão autorizadas apenas a defender-se caso ocorra algum ataque e a continuar com a destruição dos túneis que ligam Gaza a Israel. O Hamas, que governa a Faixa de Gaza desde 2007, afirmou no domingo que as milícias palestinas respeitarão a trégua de 24 horas a partir das 13h (horário local) de hoje.

Ajuda humanitária

O texto das Nações Unidas pede que se permita “o fornecimento de ajuda humanitária à população civil palestina” e pede que todas as partes respeitem a lei humanitária internacional. Mais de mil palestinos morreram nas três semanas de ataques da operação militar israelense Margem Protetora, enquanto o número de feridos passa de 6,2 mil. Segundo a ONU, 80% das vítimas são civis. Do lado israelense, 43 soldados morreram. As mortes dos militares se produziram após o início das operações terrestres na Faixa de Gaza no dia 17 de julho.

A declaração ainda afirma que “as instalações civis e humanitárias, incluídas as da ONU, devem ser respeitadas e protegidas”, em referência ao ataque na semana passada a uma escola da ONU que resultou com a morte de 17 pessoas na localidade de Beit Janún, no norte de Gaza. O exército israelense argumentou que suas investigações concluíram que “apenas um morteiro caiu no pátio do colégio da UNRWA [agência da ONU para os refugiados palestinos], que estava completamente vazio”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum