domingo, 20 set 2020
Publicidade

Corrupção em São Paulo: agora vai?

Por Altamiro Borges, no Blog do Miro

O deputado estadual Roque Barbiere (PTB), popular Roquinho, finalmente conseguiu agitar a Assembléia Legislativa de São Paulo – um cemitério de idéias e projetos, dominado pelos tucanos há duas décadas. Em entrevista à “Folha da Região”, de Araçatuba, ele revelou o que muitos já sabiam – mas que a mídia demotucana abafava: a corrupção corre solta nesta “nobre” Casa.

Por motivos ainda desconhecidos, Roquinho garantiu que de “25% a 30%” dos deputados paulistas vendem emendas, trabalham para empreiteiras e fazem lobby com prefeituras. Na entrevista, que virou vídeo e logo bombou na internet, o parlamentar evitou dar nomes. “Não vou ser dedo-duro. Mas existe! Falo para eles, inclusive, para parar. Aviso que se um dia vier a cassação do mandato deles, não vir me pedir o voto que eu vou votar para cassá-los, mas não vou dedurar”.

A repercussão nas redes sociais
A grave denúncia, a exemplo de tantas outras que foram abafadas e sucumbiram nas dezenas de pedidos de criação de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs), até poderia dar em nada novamente. Mas bastou uma matéria no Estadão na semana passada para o caso ganhar maior dimensão. De imediato, a blogosfera e as redes sociais espalharam a notícia e o vídeo bombástico.

Na sequência, outros jornais não tiveram como esconder a suposta maracutaia. As emissoras de rádio e televisão ainda mantêm total silêncio sobre o caso – logo elas que, nos últimos dias, têm feito alarde com as chamadas “marchas contra a corrupção” do governo Dilma. Desta vez, porém, a internet garantiu maior transparência e exigiu respostas das “autoridades” de São Paulo.

“Sentimento ambíguo” dos deputados
O Ministério Público Estadual finalmente decidiu abrir uma investigação. Já na Assembléia Legislativa, os deputados da oposição exigem a apuração da denúncia. O próprio governador foi obrigado a se manifestar sobre o caso. Num primeiro momento, ele tentou desqualificar as denúncias e o denunciante – que é da base governista. Agora, ele fala em “contribuir com a investigação”.

Segundo Renata Lo Prete, da Folha, o episódio gerou tremedeira na Assembléia Legislativa de SP. “Levado ao Conselho de Ética por delatar a venda de emendas, Roque Barbiere (PTB) desperta sentimento ambíguo nos colegas de Casa. Enquanto uns querem punição ‘exemplar’, há quem tema que o petebista reafirme as acusações, nominando os deputados que adotariam tal prática”.

Lisura dos deputados em xeque
Ontem (26), foi aprovado o envio do caso ao Conselho de Ética da Assembléia Legislativa. A partir de quinta-feira, o órgão terá 60 dias, prorrogáveis por mais 30, para se manifestar. “A denúncia do deputado Barbiere põe em xeque a lisura de todos os parlamentares”, afirma Carlos Gianazzi (PSOL), autor do pedido de investigação.

Será que finalmente a corrupção no reinado tucano de São Paulo será apurada?