escrevinhador

por Rodrigo Vianna

Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
04 de Maio de 2015, 14h18

Eduardo Cunha prepara Câmara para guerra e compra kit para repressão de protestos

A Câmara adquiriu 200 escudos, 200 capacetes, 200 cassetetes, 50 trajes policiais antitumulto, 100 protetores de joelho, canela e pé e 700 unidades de spray de pimenta e gás lacrimogênio.

Por Isabel Braga, de O Globo

A Câmara dos Deputados está ampliando o arsenal usado por seguranças em confronto com manifestantes. A compra de equipamentos “bélicos” em 2014 chamou a atenção do PSOL, que decidiu requerer à direção da Casa as regras básicas de segurança a serem adotadas em votações polêmicas que estão previstas para os próximos meses, como as do ajuste fiscal e da reforma política.

O levantamento feito pelo PSOL mostra que, em 2014, a Câmara adquiriu 200 escudos, 200 capacetes, 200 cassetetes, 50 trajes policiais antitumulto e 100 protetores de joelho, canela e pé. Tudo a um custo de R$ 222 mil. Foram adquiridas ainda 700 unidades de spray de pimenta e gás lacrimogênio, num total de R$ 166,8 mil, além de 26 mil munições calibre 38 e 40, a R$ 65,5 mil. A lista também tem a compra de 1.800 distintivos para o Departamento de Polícia Legislativa por R$ 4.140,00.

— Toda matéria polêmica mobiliza segmentos sociais a virem à Câmara e isso deve ser motivo de alegria democrática, não de medo, tensão e proteção dos parlamentares — argumentou o líder do PSOL, Chico Alencar (RJ).

O líder admite que a Casa se prepare para evitar que manifestações saiam do controle, mas diz que o exagero no aparato de segurança pode levar a situações como a da votação do projeto que regulamenta a terceirização, em abril, ou da recente repressão a professores no Paraná:

— Onde tem muita polícia, em geral, na realidade brasileira, tem pouca política. Na dita Casa do povo não se justificam galerias fechadas, como aconteceu na terceirização e agora no Paraná.

O requerimento do PSOL pede que o primeiro secretário da Câmara, deputado Beto Mansur (PP-SP), esclareça as regras de acesso à Casa, a base legal para impedir a entrada com faixas, camisetas de categorias, entre outras normas. O documento também questiona se os policiais legislativos recebem treinamento de “cunho humanista, com disciplinas como ética, direitos humanos” e se a Câmara tem “garantido acompanhamento continuado de natureza psicológica” aos agentes.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum