terça-feira, 29 set 2020
Publicidade

Guido Mantega sobre Celso Furtado: “É o arquiteto da economia política brasileira”

 Do Escrevinhador

O dia 20 de novembro de 2014 marcará dez anos da morte de Celso Furtado (1920-2004). Para homenagear um dos grandes pensadores da realidade brasileira, Escrevinhador apresenta um artigo antigo do então professor de economia da Fundação Getúlio Vargas, Guido Mantega, sobre Furtado e o pensamento econômico brasileira.

O artigo é de 1989, quando Furtado ainda estava vivo e escrevendo sobre o Brasil. O desenvolvimentista Mantega nem imaginava que ocuparia o Ministério da Fazenda por 10 anos… O ministro Mantega conhece bem os desafios da economia e enfrentou, na prática, a força daqueles que não se interessam pelo desenvolvimento nacional.

“Furtado é o pai do Modelo de Subsituição de Importações, do qual partiram e derivaram outras vertentes interpretativas. E aqui não se pretende negar o rico desenvolvimento teórico que se seguiu à Formação [deve-se reconhecer que ele foi o arquiteto Econômica do Brasil] e outros trabalhos de Furtado. Entretanto, deve-se reconhecer que ele foi o arquiteto que lançou os alicerces da economia política brasileira. À teoria dos choques adversos de Furtado sobre o advento da industrialização brasileira, seguiram-se a interpretação da industrialização liberada não pela crise, mas pelo expensão das exportações, a interpretação da dinâmica capitalista e outros vertentes que modificaram a ênfase, mas mantiveram o parentesco com a obra de Furtado”, escreveu Mantega.

Abaixo, leia a íntegra do artigo.