escrevinhador

por Rodrigo Vianna

Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
07 de abril de 2014, 00h06

Maringoni: E se o erro do IPEA fosse na gestão Pochmann?

Na última semana, o IPEA cometeu um erro grave na consolidação de uma pesquisa. São coisas que podem acontecer em qualquer situação. Mas fico imaginando o que a imprensa não estaria falando se Marcio Pochmann estivesse no comando.

Marcio Pochmann X Marcelo Neri

Por Gilberto Maringoni, no Facebook

Nos governos FHC e na primeira gestão Lula, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) tornou-se um repetidor das teses neoliberais da Fazenda.

Na segunda administração petista, Marcio Pochmann, professor da Unicamp, tornou-se seu presidente.

Foi a fase áurea do Instituto, entre o final de 2007 e a metade de 2012. A pauta central passou a ser a retomada do desenvolvimento.

De órgão de investigações econômicas, o IPEA abriu-se para pesquisas sociais, culturais, antropológicas e políticas.

(Tive a felicidade de ser bolsista e editor da revista ‘Desafios do Desenvolvimento’ nesses anos).

O volume de pesquisas e publicações aumentou sensivelmente. Foram realizadas as Conferências do Desenvolvimento, com dezenas de trabalhos e palestras apresentadas. Antes do evento nacional, a Conferência comportava etapas regionais, em diversos estados.

Marcio e sua diretoria – que incluía João Sicsú, entre outros – foram impiedosamente combatidos pela mídia, com calúnias de todo tipo.

Na gestão Dilma, a decisão foi mediocrizar o trabalho. A orientação estava em linha com a virada ortodoxa que seu governo implementou logo ao tomar posse, em 2011. Seguidas elevações da taxa básica de juros, favores valiosos ao capital e a retomada das privatizações tiraram o desenvolvimento da agenda nacional.

Havia uma pedra no sapato: a orientação de Marcio no IPEA. Em 2012, a presidenta e seu ministro Guido Mantega decidiram acabar com a brincadeira.

Dilma nomeou um dos luminares da FGV do Rio – meca do neoliberalismo pátrio – e inventor da assim chamada teoria da nova classe média, o economista Marcelo Neri.

Com inegável habilidade, Neri fala o que a mandatária gosta de ouvir e não causa problemas.

Poderia estar tranquilamente nos governos FHC ou em possíveis gestões Campos ou Aécio.

O IPEA tornou-se irrelevante na cena política. Pesquisas, publicações e várias iniciativas foram cortadas.

Na última semana, o IPEA cometeu um erro grave na consolidação de uma pesquisa.

São coisas que podem acontecer em qualquer situação.

Não se pode demonizar o Instituto apenas por esse evento.

Mas fico imaginando o que a imprensa não estaria falando se Marcio Pochmann estivesse no comando.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum