terça-feira, 22 set 2020
Publicidade

Paulo André faz chamamento: futebol não pode chegar ao nível do pré-sal


Do Escrevinhador

O zagueiro Paulo André, líder do movimento Bom Senso FC, acusa a “crise existencial que arrasa o futebol brasileiro há mais de uma década” e propõe “um plano de desenvolvimento nacional do futebol”.

A primeira medida apresentada pelo jogador é a democratização da CBF. Os dirigentes desse processo de transformação serão os jogadores de futebol. Acadêmicos, cientistas, estudiosos serão auxiliares desse processo. O objetivo é fazer mudanças significativas a longo prazo.

As iniciativas propostas pelo jogador são (1) investir na formação dos jovens jogadores, (2) resgatar o estilo de jogo brasileiro, (3) ter boas práticas de gestão, (4) punição aos infratores e (5) levar as famílias de volta aos estádios.

Abaixo, leia os trechos mais interessantes da carta (aqui, na íntegra):

“É uma cópia fidedigna do que aconteceu na derrota do Santos para o Barcelona, em 2011. Aquele jogo deixou a mesma péssima impressão, de homens jogando contra meninos; causou os mesmos óbvios questionamentos (exaustivamente mastigados pela crítica) e, promoveu uma tentativa de caça as bruxas, mudança de mentalidade e “evolução tática” que em nada resultou”

“Os que dirigem o futebol nacional não deram as caras, se esconderam em ambas oportunidades. Como de costume, evitaram e evitarão ao máximo falar sobre as propostas para o futuro pois não entendem bulhufas do que deve ser feito. Entendem de política, de se manter no poder, de explorar o futebol, de mamar nas tetas da vaca”

“Proponho uma solução ao caos, DEMOCRATIZEM A CBF e salvem o futebol brasileiro”

“Campeões, Bicampeões, Tricampeões, Tetracampeões, Pentacampeões, vocês que construíram o futebol brasileiro dentro de campo, estão convocados. Precisamos de vocês, precisamos ainda mais dos que já provaram sua capacidade fora de campo, gerindo, planejando, vivenciando o que há de melhor no futebol contemporâneo mundial… para concretizar mudanças significativas a longo prazo”

“Um plano de desenvolvimento nacional do futebol, de criarmos regras e licenças para capacitar os novos treinadores, de formarmos melhor as nossas jovens promessas, de desenvolvermos ou resgatarmos o estilo de jogo brasileiro, de protegermos as boas práticas de gestão, de punirmos os infratores, de trazermos as famílias de volta aos estádios de futebol”

“Acadêmicos, cientistas, estudiosos também são bem vindos, o conhecimento de vocês é fundamental na construção de um novo rumo”

Paula André demonstra que tem vocação para dirigente desse movimento e lança na carta ideias embrionárias para um programa mais amplo para o futebol, a partir das elaborações coletivas do Bom Senso FC, para que um conjunto de atores possam contribuir e entrar nessa marcha.

A palavra de ordem é a democratizar a CBF, que é propriedade de uma máfia que controla o futebol brasileiro por décadas.

O futebol brasileiro chegou ao fundo do poço com a derrota vergonhosa para a Alemanha. Aqueles que estão à frente da seleção e da CBF não admitem essa situação. É um sinal gravíssimo, porque continuarão cavando e cavando…

Se a sociedade não se contrapor aos devaneios da direção da CBF, o futebol alcançará um buraco mais profundo que o pré-sal. Daí a importância do chamamento feito pelo zagueiro Paulo André.