escrevinhador

por Rodrigo Vianna

Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
08 de dezembro de 2011, 14h05

Trabalhadores marcham por moradia e trabalho

O Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST), o Movimento das Fábricas Ocupadas e os Sem Terras de Campinas realizam hoje (8/12) um ato público na Avenida Paulista por uma política nacional de desapropriações e outras reivindicações relacionadas ao direito a moradia digna e ao trabalho.

Trabalhadores sem teto pedem desapropriações que assegurem moradia e trabalho
Por Pedro Pomar

O Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST), o Movimento das Fábricas Ocupadas e os Sem Terras de Campinas realizam hoje (8/12) um ato público na Avenida Paulista por uma política nacional de desapropriações e outras reivindicações relacionadas ao direito a moradia digna e ao trabalho. Estava prevista uma marcha do MASP até o escritório de representação da Presidência da República em São Paulo (na esquina de Paulista e Augusta). Reproduzo a seguir os principais trechos do documento divulgado por eles:

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), da fábrica sob o controle dos trabalhadores Flaskô e militantes sem terra de Campinas realizaram, no dia 12 de novembro, um encontro no qual foi discutido a necessidade de articulação e organização da luta conjunta dirigida ao governo Federal.  Essa ação tem o objetivo de apontar as desapropriações como medidas urgentes da pauta de luta desses movimentos.

A fábrica Flaskô está ocupada há 8 anos e os trabalhadores lutam para manter seus empregos. Têm sofrido diversos ataques por parte do Governo e da Justiça em função das dívidas deixadas pelos antigos patrões. Os trabalhadores têm mantido a fábrica aberta e em funcionamento, mas sob ataques cada dia maiores. Por isso, é necessário que o Governo desaproprie a fábrica e a coloque sob o controle dos trabalhadores. É necessário que o governo desaproprie o terreno onde se construiu a Vila Operária regularizando as moradias. É necessário que o governo desaproprie os galpões da Fábrica de Cultura e Esporte consolidando um verdadeiro centro cultural público e sob o controle dos trabalhadores da arte e cultura. A desapropriação é a forma de reaver o que os patrões não pagaram garantido os empregos, as moradias e a cultura.

Nas cidades, as ocupações Zumbi e Dandara do MTST mostram a disposição de luta dos trabalhadores por suas moradias, mas esbarram na falta de terrenos. É hora de acabar com a especulação imobiliária desapropriando terrenos para construção das moradias para as famílias. No campo é necessário desapropriar as terras para a reforma agrária popular e sob o controle dos trabalhadores.

Tarefas urgentes estão colocadas para os trabalhadores da cidade e do campo:

·  No campo, o governo não deu nenhum passo para a mínima aplicação da constituição desapropriando as terras para a reforma agrária e entrará para a história como não tendo realizado nenhum assentamento no primeiro ano de governo.

·  Nas cidades, as famílias não têm onde morar e pouco se fez no sentido de aplicar as leis, como o estatuto da cidade, que prevê a desapropriação de terras para a moradia de interesse social.

· Na fábrica ocupada Flaskô, os ataques se ampliam por parte do governo e nenhuma medida concreta é adota no sentido de salvar os empregos.

· Nas fábricas, prossegue o processo de ataques aos direitos dos trabalhadores, com terceirizações e fechamento de unidades produtivas, como resultado a internacionalização das empresas para os patrões ganharem bilhões, tudo com dinheiro publico do BNDES.

· A criminalização dos trabalhadores na cidade e no campo a cada dia é maior. Não podemos aceitar as ameaças ao militantes, os processos criminais e mais do que isso os assassinatos que prosseguem.

Por isso, e sabendo que é necessário construir a unidade na luta, decidimos organizarmos um ato unitário em 8 de dezembro no MASP em São Paulo para apresentarmos nossa pauta de reivindicações.

– Por uma Política Nacional de Desapropriações!
– Contra os despejos e remoções! Contra os crimes da Copa 2014!
– Desapropriação já da fábrica ocupada Flaskô!
– Desapropriação já pelas moradias da acampamento Dandara e Zumbi!
– Desapropriação já por reforma agrária da área do Sítio Boa Vista em Americana – SP!
– Não à criminalização dos Movimentos Sociais.

Movimento das Fábricas Ocupadas
Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST)
Sem Terras de Campinas

*Pedro Pomar é jornalista, editor da Revista Adusp e doutor em ciências da comunicação.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum