Blogs

11 de julho de 2018, 21h58

Samba sacaneia Crivella: “Fala com a Márcia”

Música satirizando a reunião em que o prefeito oferece facilidades do serviço público a líderes evangélicos viralizou nas redes. Ouça

Foto: Reprodução

A reunião a portas fechadas entre o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, e líderes de igrejas evangélicas, continua repercutindo negativamente para o bispo licenciado da Igreja Universal.

Uma reportagem do jornal O Globo divulgou áudios que mostram o prefeito oferecendo facilidades no acesso ao serviço público a pastores evangélicos, como acesso a cirurgias de cataratas, vasectomia e varizes, além de isenção de impostos. E alguns momentos dos áudios, é possível ouvir Crivella orientando os religiosos a falarem com a Márcia para ter acesso a essas “facilidades”. Márcia é, na verdade, Márcia Nunes, uma das assessoras do prefeito e sua fiel escudeira há 15 anos.

A denúncia contida na reportagem do jornal carioca fez com que as articulações por um impeachment de Crivella se fortalecessem na Câmara dos Vereadores. Pelas ruas do Rio de Janeiro, quase não se fala em outra coisa e, na cidade do samba, a crítica ao prefeito acabou virando música.

O samba “Fala com a Márcia”, de Luiz Fernando, que participa do movimento de compositores Samba na Fonte, viralizou nas redes nos últimos dias. “O próprio prefeito aparece no áudio dizendo ‘fala com a Márcia’ e, depois ele diz também que o Sisreg (Sistema de Regulação) ‘demora, demora, demora’. Eu apenas encaixei as frases dele na melodia do samba. Não fui eu que disse isso. Foi o prefeito. É um fato público e notório”, disse ao jornal Extra o autor da sátira musical.

Veja também:  Jornalista narra conversa com professora de Willian, sequestrador do ônibus na ponte Rio-Niterói

Leia também
Crivella, Freixo, Márcia e jornal Extra

“Se não tem vaga no SUS/Nem remédio na farmácia/Fala com a Márcia”, diz um trecho do samba.

Ouça.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum