Segunda Tela

17 de junho de 2018, 12h42

Treta da Copa: André Rizek, da SporTV, sofre ataque homofóbico de colunista da Band FM

Perrone costuma espalhar preconceitos contra a comunidade LGBT e em boa medida conquistou seguidores no twitter em decorrência dessa sua postura.

(Foto: twitter/@andrizek)

O apresentador da SporTV, André Rizek, foi atacado de forma violenta e homofóbica por Rica Perrone, colunista da Band FM.

A confusão teve início por Rizek ter postado no dia 11 de junho uma foto junto com Galvão Bueno em que vestia uma camisa da seleção da Argentina.

Perrone que conseguiu seguidores no twitter atacando de forma violenta àqueles de quem discorda e tendo um comportamento típico de seguidores de Bolsonaro, passou a provocar Rizek.

O apresentador da SporTV, sem citá-lo, deu uma resposta chamando-o de “influenciador digital bolzominion”.

Perrone sentiu o golpe e foi para a baixaria total.

Preconceituoso

Veja também:  Defesa de Lula pede explicações no STF sobre retirada de nova ação do ex-presidente da pauta

Perrone costuma espalhar preconceitos contra a comunidade LGBT e em boa medida conquistou seguidores no twitter em decorrência dessa sua postura.

Entre outras coisas já escreveu que chamar Ronaldo de gordo é o mesmo que uma torcida inteira atacar um jogador de vôlei, quando o Cruzeiro foi punido por sua torcida atacar o atleta do Volei do Futuro, Michael, que dias antes havia assumido sua homossexualidade.

Ele também já concedeu entrevista ao Portal da Revista Imprensa onde diz: “Você já viu um pai passando a mão na barriga de uma mulher grávida e dizendo: ‘Ah, tomara que seja gay’?”. “É simples: eu sou são-paulino e não gostaria que meu filho fosse corintiano. Quero que meu filho tenha os mesmos hábitos de convivência que eu”.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum