Após fake news, STF solta nota ensinando Leda Nagle a fazer jornalismo

Supremo dá puxão de orelha na veterana jornalista, que pelo visto faltou às aulas de Ética e de apuração de notícias na faculdade

Após a apresentadora bolsonarista Leda Nagle divulgar uma notícia falsa envolvendo ministros, o Supremo Tribunal Federal soltou uma nota ensinando a veterana repórter a fazer jornalismo: “antes de compartilhar informações, verifique se a fonte é segura”, diz o texto.

Leda, que antes de se unir ao bolsonarismo e passar a fazer propaganda de remédios que não funcionam contra a Covid-19, era uma jornalista respeitada, com mais de 50 anos de carreira, divulgou a “notícia” de que Lula e os ministros do Supremo tramavam uma conspiração para matar Jair Bolsonaro. A apresentadora usou como fonte um perfil falso do twitter, já suspenso, e que usava o nome do novo diretor da Polícia Federal, Paulo Maiurino.

Após ser pega na mentira, Leda se desculpou no twitter dizendo que havia lido uma postagem em seu “clube de notícias” e que um dos seguidores teria difundido o texto “por má-fé ou porque ficou impactado pela notícia”. Ou seja, responsabilizou outra pessoa por seu erro.

Muita gente reconheceu na fake news de Leda Nagle um método utilizado com frequência pelos bolsonaristas: lançar uma notícia falsa, deixar viralizar e só então desmentir. “Isso é método. Tática. E não um vacilo”, comentou o apresentador Felipe Andreoli na rede social.

O repórter Tino Marcos, deu uma alfinetada na ex-colega de Globo chamando-a de “fura-greve” e lamentando sua decadência profissional. “Lembro de Leda furando uma greve nacional em 1986. Quase foi apedrejada ao entrar na emissora pra apresentar o JH. Mas nunca imaginei que chegaria a esse ponto de hoje”, tuitou.

Na nota oficial, o Supremo dá um puxão de orelha na veterana jornalista, que pelo visto faltou às aulas de Ética e de apuração de notícias na faculdade –ou esqueceu ao aderir ao bolsonarismo. “Circula pelas redes sociais um post atribuído ao novo diretor-geral da Polícia Federal que aponta um mentiroso plano envolvendo ministros do STF. Trata-se de perfil não verificado e, segundo a PF, falso”, diz o texto.

“O STF reitera o alerta para a importância da checagem de informações suspeitas, como forma de evitar a propagação de fake news com o nome de autoridades e membros da Suprema Corte. Antes de compartilhar informações, verifique se a fonte é segura.”

Avatar de Socialista Morena

Socialista Morena

Uma nova forma de fazer jornalismo. Cultura, política, feminismo, direitos humanos, mídia e trabalho. Editora: Cynara Menezes