domingo, 20 set 2020
Publicidade

Coronavírus: é preciso mesmo desinfetar os pacotes do supermercado? Não

CYNARA MENEZES

A cena já virou piada, mas se tornou um estresse extra para as pessoas na pandemia: donas e donos de casa desinfetando todos os pacotes do supermercado antes de guardá-los na geladeira ou na despensa. Este cuidado se disseminou no começo da quarentena, quando ainda se sabia muito pouco sobre a Covid-19. Mas, cinco meses depois, será que se justifica ficar passando álcool gel ou desinfetante nas embalagens, uma por uma? Não –é o que dizem especialistas do mundo todo.

Em alguns sites oficiais, como os do governo dos EUA e da Inglaterra, não há nenhuma orientação no sentido de desinfetar os pacotes que são trazidos para a casa das pessoas. “Quando desempacotar suas compras, refrigere ou congele a carne, o frango, os ovos, os frutos do mar e outros perecíveis dentro de duas horas”, diz o site do CDC (Centro para Controle e Prevenção de Doenças) do governo norte-americano, que ainda adverte: “Não use desinfetantes como alvejantes ou amônia sobre comida empacotada com papelão ou plástico.”

Na Nova Zelândia, um dos primeiros países a zerar os casos novos e que até hoje só teve 22 pessoas mortas pela Covid-19, o governo não menciona desinfetar os pacotes de compras no site criado para o combate à doença

“Se você fez compras, não há necessidade de sanitizar os pacotes de comida”, orienta o site do governo britânico. “COVID-19 é uma doença respiratória e não há evidências de que possa ser transmitida através da exposição à comida ou a embalagens de alimentos.” Ambos os sites destacam que o mais importante é lavar as mãos com água e sabão após manusear os pacotes.

Na Nova Zelândia, um dos primeiros países a zerar os casos novos de coronavírus e que até hoje só teve 22 pessoas mortas pela Covid-19, o governo não menciona desinfetar os pacotes de compras no site criado para o combate à doença. Pelo contrário, houve inclusive preocupação com a contaminação de frutas e legumes com desinfetantes não apropriados para higienizar alimentos, após o vídeo de um médico dos EUA viralizar com a “orientação” de mergulhar os vegetais em água com sabão e depois lavá-los novamente com água e sabão.

Mais de 26 milhões de pessoas assistiram ao vídeo onde o médico Jeffrey VanWingen aconselha lavar com sabão as frutas e legumes, o que é desaconselhável porque pode trazer problemas alérgicos ou irritar o trato digestivo. Os vegetais devem ser higienizados com água potável ou com a diluição de água sanitária e água, não com sabão.

O que diz a OMS (Organização Mundial de Saúde)? “Não há até agora nenhuma evidência de que as pessoas possam contrair Covid-19 pela comida ou por pacotes com comida. Covid-19 é uma doença respiratória e a rota de transmissão é de pessoa a pessoa e pelo contato direto com as gotículas geradas quando uma pessoa infectada tosse ou espirra”, esclarece a entidade. “Lavar as frutas e vegetais com água potável é suficiente. Não é necessário desinfetar os pacotes, mas as mãos devem ser lavadas apropriadamente após tocar neles e antes de comer.”

Não há até agora nenhuma evidência de que as pessoas possam contrair Covid-19 pela comida ou por pacotes contendo comida”, diz a Organização Mundial de Saúde. “Não é necessário desinfetar os pacotes, mas as mãos devem ser lavadas após tocar neles

Perguntei ao médico veterinário Paulo Abilio Varella Lisboa, pesquisador da Fiocruz, sobre o assunto, e ele aconselha passar um pano úmido sobre os pacotes como forma de prevenção. “Não pregamos que temos que esterilizar embalagens e superfícies ou que tenhamos uma paranoia”, disse. “Não dá para lavar todas as embalagens ou passar álcool em gel em tudo, mas passar um pano úmido com água e sabão ou álcool ou a diluição da água sanitária, ter um cuidado na manipulação neste momento talvez seja interessante. É importante não utilizar um desinfetante (que pode ser potencialmente venenoso ou tóxico).”

Varella Lisboa diz que é improvável que a exposição de alguém ao vírus numa embalagem de alimento seja suficiente para deixar uma pessoa doente, mas ainda não há certeza absoluta disso. “Então continua sendo importante lavar as mãos antes e após desembalar ou manipular alimentos. Outras precauções adicionais a serem adotadas incluem limpar e desinfetar as superfícies (pias, mesas, bancadas, tábuas de corte e utensílios domésticos) e lavar regularmente as sacolas reutilizáveis. E, quando estiver manuseando alimentos, é muito importante evitar tocar nos olhos, nariz ou boca.”

"Não pregamos esterilizar embalagens e superfícies ou que tenhamos uma paranoia. Não dá para lavar todas as embalagens ou passar álcool em gel em tudo, mas passar um pano úmido com água e sabão ou álcool talvez seja interessante”, pondera Paulo Abílio, da Fiocruz

Ele ressalta que, sem exagero ou paranoia, as boas práticas de higiene adquiridas na quarentena deveriam permanecer após a pandemia. “Bom senso e algum cuidado básico de orientação e higiene não vão matar ninguém e nem criar alarde e são extremamente indicados para todos os aspectos da segurança alimentar –com ou sem Covid. Deveria ser uma prática diária, um hábito de higiene que deveria ser perpetuado.”

O mais importante é romper o ciclo de infecção, assegurando que, se você tocou superfícies ou pacotes onde porventura havia o vírus, higienizou as mãos depois.  As melhores dicas em relação às compras:

– Use máscara e higienize suas mãos na entrada e na saída;
– Seja objetivo nas compras, não se demore no supermercado: quanto menos interagir com outras pessoas, melhor;
– Pratique distanciamento social (mantenha-se a pelo menos 2 metros dos outros);
– Só toque os produtos que irá levar;
– Não toque olhos, nariz ou boca durante as compras;
– Higienize as mãos após fazer o pagamento no caixa;
– Lave sempre as mãos com água e sabão ao chegar em casa e após manusear as embalagens.

Socialista Morena
Socialista Morena
Uma nova forma de fazer jornalismo. Cultura, política, feminismo, direitos humanos, mídia e trabalho. Editora: Cynara Menezes