Enquanto nos EUA dão beck a quem se vacina, Bolsonaro criminaliza cannabis medicinal

Governo de Washington, a capital do país, autorizou que lojas de maconha deem um baseado a quem se vacinar contra Covid-19

Uma das maiores lorotas do bolsonarismo é dizer que se espelha nos Estados Unidos e em Israel. Esse “alinhamento” é coisa para enganar trouxa, já que o Brasil de Bolsonaro é o suprassumo do atraso em temas que os norte-americanos e os israelenses já superaram. Cito dois: a legalização do aborto e da maconha.

Nos EUA, o aborto é permitido desde 1973; em Israel, é permitido interromper a gravidez desde 1977. Já o uso medicinal da maconha é permitido em 36 estados norte-americanos e 15 deles também permitem o uso recreativo; em 2017, Israel se tornou o primeiro país do Oriente Médio a legalizar o uso recreativo da maconha e desde 2019 autorizou também o plantio caseiro para consumo próprio e para fins medicinais.

O “alinhamento” aos EUA e Israel é coisa para enganar trouxa, já que o Brasil de Bolsonaro é o suprassumo do atraso em temas que os norte-americanos e os israelenses já superaram. Cito dois: a legalização do aborto e da maconha

Pergunte ao bolsonarista que anda com a bandeira dos EUA e de Israel em seu perfil nas redes sociais o que acha disso. Ele ainda vai ficar mais chocado ao descobrir que em Washington, a capital do país que tanto admiram e até prestam continência, estão dando baseados de graça para estimular as pessoas a se vacinar contra a Covid-19.

A iniciativa “Joints for Jabs” (“Becks por injeções”, em tradução livre) do grupo DCMJ (DC Marijuana Justice) está sendo apoiada em Washington pelo próprio governo, que autorizou as lojas que vendem maconha a dar um baseado de graça a qualquer um acima de 21 anos que tenha tomado a primeira ou a segunda dose da vacina até 12 de julho. Detalhe: durante a pandemia os dispensários de maconha medicinal foram considerados “serviços essenciais” por lá, ou seja, não fecharam.

Em outros Estados, como o Arizona, lojas de maconha também estão dando baseados e comestíveis à base de cannabis a quem se vacina contra a Covid-19. Como a vacinação não é obrigatória, o beck grátis serve como um incentivo.

Nada mais diferente do Brasil, onde até mesmo o uso medicinal da cannabis continua a ser criminalizado pelo presidente da República. Esta semana, uma comissão especial da Câmara aprovou um parecer favorável à legalização do cultivo, exclusivamente para fins medicinais, veterinários, científicos e industriais, da Cannabis sativa, planta também usada para produzir a maconha.

Pergunte ao bolsonarista que usa a bandeira dos EUA em seu perfil nas redes sociais o que acha disso: na capital do país que tanto admiram e até prestam continência, estão dando baseados de graça para estimular as pessoas a se vacinar contra a Covid-19

E qual foi a reação de Bolsonaro, o grande fã dos EUA? Dizer que isso vai gerar riqueza, empregos, como acontece lá na gringa? Que nada. Atacou a iniciativa e ainda aproveitou para, como sempre, inventar uma fake news contra o PT. “Tem a canabidiol sintética. Não precisa deixar o pessoal plantar maconha em casa, não… Já imaginou se o PT um dia voltar ao governo? Vai ter plantação de maconha ali, ó”, disse, apontando para o gramado do Palácio da Alvorada.

Avatar de Socialista Morena

Socialista Morena

Uma nova forma de fazer jornalismo. Cultura, política, feminismo, direitos humanos, mídia e trabalho. Editora: Cynara Menezes