Urbanidades

por Fernando Lara

  • Jair Bolsonaro como um predador institucional

    No dia em que o governo brasileiro, com apoio da elite econômica, resolveu comemorar a véspera do golpe de 64 (o golpe foi em primeiro de abril), a primeira coisa que li ao acordar foi este texto extremamente lúcido e por isso mesmo assustador de Bruno Wanderley Reis, destaca Fernando Lara

  • Enfim, a tão sonhada república dos bacharéis

    No blog Urbanidades, Fernando Lara destaca que “os bacharéis assaltaram o poder e o campo democrático vai precisar de muita luz e muita resistência para reequilibrar minimamente o jogo”

  • Becos sem saída e sem memória

    Os historiadores do futuro vão se lembrar do dia em que o Brasil, desgovernado e enlouquecido, deixou arder a maior coleção do hemisfério sul, como nós nos lembramos de Girolamo Savonarola queimando Boticelli em 1494

  • Capitalismo e democracia: incompatibilidade de gênios

    O futuro da democracia é não-homem, não-branco e não hétero-normativo. O capitalismo, este velho senhor hoje tão bem representado por Donald Trump, prepara o próprio velório ao tocar fogo nas instituições que o sustentaram ao longo das últimas sete décadas

  • O carnaval aponta o caminho

    O carnaval sempre foi festa transgressora, sua origem está em justamente desobedecer ao máximo a opressão culposa da quaresma.

  • Pensando o espaço nas Américas

    Fernando Lara, editor do blog Urbanidades, é autor de uma instalação sobre os espaços nas Américas na 11ª Bienal de Arquitetura de São Paulo. Confira XI Bienal de Arquitetura de São Paulo Biblioteca Mário de Andrade a instalação / manifesto A 11a Bienal de Arquitetura de São Paulo está funcionando desde o final de outubro, […]

  • A guerra do clima já começou

    Um dos melhores livros que lí este ano foi American War de Omar El Akkad. A ficção escrita por este jornalista egípcio que vive atualmente no Canadá, imagina os Estados Unidos em 2074, depois da eclosão da segunda guerra civil. Este conflito imaginado por El Akkad descreve uma rebelião no sul dos EUA pelo direito de usar […]

  • A aposta (certa) de Haddad

    Na história recente desta triste e tão golpeada república alguns políticos alçaram posições de liderança por entender – e responder – ao espírito do tempo. Getúlio Vargas entendeu que as elites urbanas e rurais viviam em mundos separados e elaborou politicas diferentes para cada grupo. Jucelino Kubitcheck entendeu como transformar obras em votos e em […]

  • Welcome to bullying capitalism!

    Trump vai continuar sua estratégia de bullying, gritando com os mais fracos (no caso imediato mexicanos e muçulmanos) e afinando para os mais fortes: Wall Street, indústria bélica, China e Russia.

  • Girolamo Savonarola, Donald Trump, e o ocaso da televisão do homem branco

    O frei florentino Girolamo Savonarola via na mudança dos tempos um prenúncio do fim do mundo, permeado com corrupção, despotismo e exploração. Nenhum destes três males era exclusividade de Florença no século XV, e nenhum destes três males diminuiu um milímetro depois que Savonarola tomou o poder e mandou queimar livros, pinturas e outras obras […]

  • Tente explicar para os seus netos

    Ai mesmo em São Paulo, na Pinacoteca do Estado, está um quadro de Leon Ferrari que se chama: “nosotros no sabíamos”. Vai lá dar uma olhada antes de tentar explicar o Brasil de 2016 para os seus netos. Mas quero ver você explicar que você votou em candidatos que se colocaram contra a redução da velocidade, […]

  • Demolições são o legado da Olimpíada

    Para Rodrigo Simões, cuja conversa sempre afiada sobre urbanismo e política vai fazer muita falta. A Olimpíada do Rio terminou e agora mais do que nunca os brasileiros vão se perguntar se valeu a pena. Para ajudar no debate proponho a ideia de que o legado do Rio 2016 são três tipos diferentes de demolições. […]