Urbanidades

por Fernando Lara

  • Memórias diferentes do mesmo objeto

    Visitei na semana passada pela segunda vez o Museo de la Memória y Derechos Humanos em Santiago, Chile. O mesmo Museu, as mesmas exposições, duas visitas completamente diferentes. Na primeira vez, em 2012, eu tinha ido dar uma palestra que ocorreu na hora do almoço e assim passei a tarde no museu. Projetado pela equipe […]

  • A maldição do VTnC

    Em 2013, enquanto uma brava juventude tomava as ruas para gritar que algo estava muito errado no Brasil, um estádio cheio de coxinhas quarentões mandava Dilma TnC. Desde então o país vive um pesadelo cujo enredo vai ficando mais previsível que as cafonas mas resistentes novelas. A brava juventude ocupou escolas, forçou um governador carola […]

  • A elite patrimonialista chutou o tabuleiro (e vai demorar para termos confiança nas instituições de novo!)

    Imagine a política nacional como um jogo de WAR, aquele tabuleiro cheio de territórios onde pecinhas coloridas representam exércitos. Uns querem conquistar 18 territórios, outros querem destruir os exércitos vermelhos… e por aí vai. Lembra? Agora imagine que no WAR da política nacional a elite patrimonialista sempre joga com 3 dados, não importa o número […]

  • Convergência de ódio e oportunismo

    Há quatro anos atrás escrevi dois artigos (disponíveis aqui e aqui) que tratavam de uma crescente mas incômoda convergência entre o Brasil e os EUA. O principal ponto era a desigualdade medida pelo coeficiente de Gini, mas a convergência passa também pelo ativismo judiciário, pela polarização e até pela epidemia de obesidade. O índice Gini, […]

  • Voz de prisão

    Um adolescente magrelo, narigudo e tímido distribuía panfletos numa manhã de domingo na Avenida Brasil, na contra-esquina do Colégio Arnaldo, em Belo Horizonte. O adolescente tinha acabado de votar no Lula, na primeira eleição da sua vida. Vale dizer que aquela também foi a primeira vez que sua mãe, 28 anos mais velha, votava para […]

  • Americanos sentem que algo se perdeu. Algo se quebrou, está se quebrando

    Caetano Veloso compôs esta música no inicio dos anos 90, quando no Brasil vivíamos o governo Collor e os EUA tinham Bush pai como presidente. São 25 anos desde então, com os norte-americanos passando por Clinton, Bush filho e Obama. Neste período, consolidou-se nos EUA uma narrativa política pautada primordialmente pela direita. Nesta narrativa, os […]

  • A cidade do capital impaciente

    Nos anos 90 líamos Paul Virilio e Jean Baudrillard discorrerem sobre a aceleração do processo capitalista mas confesso que isto me parecia um pouco distante da minha realidade brasileira. Enquanto Porto Alegre e Belo Horizonte faziam funcionar o empoderamento via orçamento participativo e o Rio de Janeiro avançava nas obras de acessibilidade nas favelas, o […]

  • Colhendo tempestades no norte

    Dois anos atrás tive uma conversa reveladora com meu colega Joe Straubhaar, professor de comunicação aqui na University of Texas e estudioso da midia brasileira. Straubhaar me explicou o conceito de “fidelização” na mídia norte-americana, que aos poucos ia chegando no Brasil com força. A idéia é que para sobreviver diante das novas mídias os […]

  • Duas sínteses

    Na semana retrasada, tivemos aqui na Universidade do Texas um seminário comemorando os 20 anos de existência do Centro de Estudos Brasileiros (Brazil Center), parte do Lozano Long Institute of Latin American Studies – LLILAS. Criado em 1995, o Brazil Center é um dos maiores do mundo, contando atualmente com 48 professores de todas as […]

  • Réquiem para a casa amarela

    Num quarteirão comprido de Belo Horizonte existe, ainda por pouco tempo, uma casa amarela. Na casa amarela funcionava uma escolar infantil, onde crianças de 1 a 5 anos tiveram a chance de…. serem crianças. A pedagogia da escolinha consistia em dar às crianças uma infância como a da maioria dos pais delas. Correndo, pintando, inventando […]

  • Estadão confunde governo com o público, e cidadão com o privado

    O Estado de S. Paulo publicou na última segunda 21 de setembro um texto de opinião sobre habitação que usa dados muito importantes e chama atenção para questões fundamentais do Brasil urbano atual, mas que erra feio ao insistir na clivagem entre um cidadão – que para aquela publicação seria um investidor cuidadoso – e […]

  • Convite: a arquitetura moderna e seu lugar na América Latina

    Continuando nossa conversa sobre o espaço construído das Américas, suas especificidades e pontos em comum, estarei apresentando nas próximas semanas o meu último livro: Modern Architecture in Latin America (escrito em parceria com Luis Carranza) no Rio e em São Paulo

  • Porque as américas são campeãs de desigualdade?

    Parece importante perguntar se não estaria na cidade, na relação entre as pessoas e o espaço construído, uma faceta importante na nossa ultrajante desigualdade. Se na Europa as cidades sempre foram sinônimo de inclusão, nas Américas a cidade foi desde o início da empresa colonial uma ferramenta de exclusão

  • Será Mañana? Ada Colau indica o caminho em Barcelona

    A trajetória de Ada Colau seria, em brasilianês, algo como Sininho se elegendo ao congresso e dois anos depois prefeita do Rio de Janeiro com um partido criado por ela mesma. Mulher, ativista, com histórico de luta contra instituições financeiras predatórias, e antenada com os movimentos urbanos, Ada Colau é tudo que a esquerda precisa para reinventar a ideia de transformação progressista, anteriormente conhecida como revolução

  • Fortaleza no debate por uma cidade melhor

    Por onde ando, falando de urbanismo na América Latina, sempre me perguntam o que é necessário para termos cidades melhores. E eu respondo que precisamos de duas coisas: implantar um filtro de qualidade na escolha das obras públicas (não podemos contratar olhando só a planilha) e fomentar um diálogo entre poder público, universidades e a […]