Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

11 de novembro de 2010, 16h34

Aos companheiros do PCdoB: o Aldo acha luta contra racismo pataquada e vocês?

Como parece que as pessoas estão com preguiça de clicar nos links para ler, quem dirá acompanhar o debate em outros sites, dei-me ao trabalho de destacar alguns comentários que achei no texto de Aldo Rebelo publicado no Vermelho.

Há comentários prós e contra, mas chama a atenção o fato de que os pró-Aldo endossem um discurso da direita que acha que ‘comunista não pensa’, que reafirma ser a luta contra o racismo  uma censura dos chatos ‘politicamente corretos’ e, finalmente, trata de forma desrespeitosa e leviana o CEN, seus conselheiros e a luta do movimento negro contra o racismo. Possivelmente esses leitores se inspiraram no próprio texto de Aldo Rebelo que diz: “Com conselheiros desse nível, não admira que a educação esteja em situação tão difícil” e usa termos como ‘patacoada’, ‘imitação imperialista’ e de ‘caráter pernicioso’ ao se referir às sugestões do CEN, apoiadas em lutas históricas do educadores pela educação para a igualdade étnico-racial e  na luta do movimento negro no Brasil no combate ao racismo e pelos direito da população negra. Será que Demóstenes Torres chegaria a tanto?

De qualquer modo, leitores como André gostaram do que Aldo Rebelo disse:

mente vermelha e pensante?
10/11/2010- 10h46

Pensava que fosse mito, ams (sic) parece que existe.

André- SP – SP

Destaco abaixo, comentários críticos ao texto do Aldo, alguns deles que eu própria assinaria:

Os comunistas e o parecer do CNE
11/11/2010- 13h46

A atitude de Aldo Rebelo depõe contra as tradições progressistas dos comunistas. Ele tergiversa a proposta do parecer do CNE, que fala sobre inserção de nota de esclarecimento no texto de apresentação, e não de proibição, e nem mesmo de notas de rodapé. O Sr. Rebelo deveria saber que grande parte dos conceitos e preconceitos do ser humano são adquiridos na infância. Remover conceitos/preconceitos sedimentados nessa fase é uma tarefa das mais árduas. Não é à toa que as igrejas têm especial predileção por exercer influência no ensino das crianças. Se a bíblia ou outros textos religiosos fossem apresentados com notas de esclarecimento, talvez o fundamentalismo religioso fosse bem menor na atualidade. O Sr. Rebelo deveria evitar fazer coro com o que há de mais reacionário em nossa sociedade. Ele sabe que o objetivo da máfia midiática não é protestar contra a proibição de nenhum clássico literário, e sim criar caldo de cultivo para o desgaste do governo mais democrático que já tivemos.

Jair de Souza – São Paulo – SP

Equivoca-se o camarada
11/11/2010 12h09

Equivoca-se o camarada Aldo ao não atentar a um aspecto muito simples da obra do Lobato: ela é lida por crianças de hoje sem as devidas contextualizações históricas e culturais apresentadas pelo camarada. Lobato é um autor maior, mas isso não impede sua obra de estar impregnada de passagens racistas, de um tipo que historicamente tem prejudicado a auto-estima das crianças negras e que todos nós aprendemos a rejeitar, por essas razões. O mínimo que se espera é que estas obras sejam acompanhadas de advertências.

Elton- São Carlos – SP

Combater o racismo em livros agora virou tribunal literário?
10/11/2010 0h281o)

Tem que ler o Parecer do CNE!! 2o) 90 milhões de negros no Brasil merecem respeito ou não? 3o) Combater representações que reforçam discriminação e racismo em livros didáticos devem ser vistas como “Tribunais Literários? 4o) Novamente: Negros merecem ser respeitados ou não? 5o) Por que Aldo que é do PC do B não refletiu sobre o racismo na educação e a situação de desvantagem desta população? 6o) Negros merecem respeito ou não?

Professora Helena – São Paulo – SP

A Folha deve ter adorado.
09/11/2010 18h55

Eu estava atônito após ler os comentários publicados na Folha de S.Paulo e atribuídos ao Aldo Rabelo. Pensei comigo: Foi Aldo mesmo quem escreveu? Será que ele leu o Parecer do MEC? Se leu, de onde ele tirou tantos absurdos para elaborar os seus comentários? Pensei em enviar os meus comentários não só de contraponto, mas também de alerta para quem possivelmente assinou um artgo sem ler o conteúdo. Felizmente encontrei no próprio blog o artigo da Olívia Santana: Lobato, negros e Mayaras. Está tudo lá. Recomendo a todos. Se o Aldo ler irá informar-se. E se tiver dificuldades recomendo a releitura de Caçadas de Pedrinho.

Joge de Souza Santos -Rio de Janeiro – RJ

Não aos termos maniqueistas
09/11/2010 17h45

A polêmica sobre o parecer do CNE propor nota explicativa ao texto de Monteiro Lobato serve a muitas leituras. Quem tem maior força para impor os termos da polêmica é a grande imprens. Espanta-me a critica do comunista Aldo Rebelo. Li varias vezes, e em todas elas pensei tratar-se de um editorial da liberal Folha de S. Paulo. Para os liberais a discussão das ações afirmativas cheira a regulação ou controle estatal da liberdade em geral. E no enfoque liberal inexiste racismo, e no caso da obra literaria de Lobato, se existe racismo, não pode haver órgão algum fazendo alerta crítico para orientar as escolas. Ora, mas o que são as Notas posteriores às edições que autores e tradutores fazem? São sempre contextualizações. O problema é que a nota em foco agora trata da existência de elementos racistas na obra do respeitavel autor. Pergunto: se a obra tratasse positivamente do antisemitismo o Sr. Rebelo seria contrário à nota? Alguns camaradas precisam rever seus conceitos sobre racismo.

Gilbeto Neves -Uberlândia – MG

Parecer do CNE X Monteiro Lobato X Racistas
08/11/2010 22h02

No momento, parece que os ganhos democráticos estão sendo enterrados a partir de uma lógica midiática dominante que, deturpa o trabalho sério de gestores/as, professoras/es, pesquisadoras/es que dedicam seus esforços acadêmicos para elucidar aqueles que, ainda, permaneçam na ilusão do racismo institucional, racismo que perpetua desigualdades e dificultam a consolidação de uma república democrática, de fato, para todos. É preciso louvar e, em alguns casos ler, o parecer emitido pelo CNE em função da polêmica que se estabeleceu, quando um cidadão no exercício pleno da sua cidadania encaminhou denúncia em função de material vinculado pelo Governo do Distrito Federal, como era de esperar pela sua função de controle social o CNE de forma criteriosa analisou a solicitação e apontou quais medidas seriam necessárias para um trabalho pedagógico anti-racista e consonante com as políticas educacionais vigentes. Espera-se que o Parecer do CNE seja homologado pelo bem democrático.

Denise Botelho -Brasília – DF

E os negros do PCdoB, não falam?
08/11/2010 21h41

O deputado extrapolou o limite do respeito. Deve desculpas públicas ao CNE. E os negros do PCdoB, não falam? Perderam a língua? Ou concordam? E a UNEGRO? Concordo com Fátima Oliveira que nenhum deputado do PCdoB não fala em nome do PCdoB se não recebeu delegação para tanto. Mas fica parecendo que fala. Até agora entendo que o deputao escreveu o artigo e o assinou. É dele. Não é do PCdoB. A luta continua, vamos assinar o AAssinado Eu apoio o parecer 15/2010 do Conselho Nacional de educação! www.euconcordo.com/com-o-parecer-152010

Alice Maos -Maceió – AL

O que é isso?
08/11/2010 19h12

Não é possível que as pessoas tenham conhecimento da Lei 10639/03 que foi aprovada e sancionada possam concordar com a retirada da Nota do CNE do livro.Ser contra é concordar com a permanência do preconceito na sala de aula.Parabéns à Profa.Nilma Lino Gomes e demais conselheiros. Alzira Rufino

Alzira Rufino -Santos – SP

Repulsa? Não, pena.
08/11/2010 16h21

É triste ver um homem de sua envergadura se deixar levar pela emoção. Observe que é o senhor quem levanta a questão do fecho final do livro “… preto também é gente, sinhá.” Entenda que o queremos é o que nunca tivemos: REPARAÇÃO. Os Judeus tiveram. Os arabes a tem, e nós, ora.. os negros… são somente negros, né? Perceba que a Lei da vadiagem dos anos 1910/1920 foi para tentar validar a matança e carceragem aos negros dentro da Lei, e isso existe até hoje. A redentora jogou os negros na rua sem casa ou apoio algum. Aonde está o racismo? Ele está em reações iguais a sua que ocupam espaço na grande imprensa contra qualquer coisa que faça pensar ou alimentar o debate. É uma pena… Mas nós não descansaremos; e é por essas e outras que a luta continua. José Amaral Neto, jornalista – Movimento Negro do Triângulo, Minas Gerais. joseamaralneto@gmail.com – www.cql.com.br/jancom – (34)9197.2150

José Amaral Neto -Uberlândia – MG

O racismo foi, é, e sempre será uma abominável fé bandida!
08/11/2010 12h22Luciana, Mariana e Paulo, A internet é realmente mais que um azougue… Uma hora após meus dois comentários, recebi três emails. Aproveito para respondê-los em parte. Se Lobato é racista? É inegável que Lobato é um escritor de extraordinária criatividade, mas é racista por escolha ideológica: Em carta a Godofredo Rangel (1908), Lobato explicitou a ASSOCIAÇÃO ENTRE MISCIGENAÇÃO ENTRE RAÇAS MUITO DESIGUAIS E DEGENERAÇÃO FÍSICA E ADMITIA QUE O REGIME DE SEGREGAÇÃO ADOTADO NOS EUA FOSSE A ATITUDE CORRETA PARA EVITAR A MISCIGENAÇÃO ENTRE BRANCOS E NEGROS NO BRASIL. (F.O, in Tua raça não morreu, Jim…, 20.01.08 www.vermelho.org.br/coluna.php?id_coluna_texto=1315&id_coluna=20 Se acho que um clássico, mesmo racista deve ser republicado impunemente? Não. Concordo com o parecer do CNE, tanto para Lobato como para qualquer outro autor nacional ou estrangeiro. Sugiro tbém: O racismo é uma abominável fé bandida vermelho.org.br

Fátima Oliveira -Belo Horizonte – MG

Preconceito? É preconceito
08/11/2010 10h02

Acredito que há uma confusão aqui. É óbvio que não poder-se-ia intervir em livros como a Bíblia. O preceito da medida é EDUCACIONAL,isto é, que diz respeito aos LIVROS ESCOLARES DA BIBLIOTECA ESCOLAR. nESTE SENTIDO, ACHO QUE A DECISÃO ESTÁ CORRETA SIM. Talvez não excluindo, mas com as notas explicativas. Não podemos coadunar com atos que deixam preconceito nas entrelinhas. Preconceito é preconceito, não importa se está maqueado ou nas entrelinhas. E preconceito racial no Brasil é vergonhoso, pela própria história da Nação. Tenho dito.

Jhonatan -Juiz de Fora – MG

O Aldo pensa assim e o PCdoB pensa como?
08/11/2010 9h21

Pode vir até todo o Comitê Central do PCdoB aqui defender o Aldo, ficará mais ridículo ainda. Mas será bom para os negros do PCdoB aprendeem pra que eles servem. Monteiro Lobato era racista porque acreditava no racismo científico. Se as obras dele vão continuar é preiso um alerta sim. Ai vai ler quem quiser

Eugênio Moreira-Colinas – MA

Que horror!
08/11/2010 7h05

Fátima Oliveira, minha amiga! O que é isso? Um artigo como este, escrito por um legislador da República, que deve conhecer os mecanismos de indicação e escolha dos Conselheiros do CNE, ultrapassa não apenas os limites da polidez urbana que a Política, que não é a via da Revolução, instaura em nossa sociabilidade. Não cabe debate, pois é lamentável! Cabe apenas exigência de retratação! E, nós, que não somos hipócritas,e por isso fazemos Política e não Revolução, através de uma cadeira no Congresso Nacional, temos de lamentar a posição e o entendimento do deputado revolucionário!

Erisvaldo Pereira dos Santos -Contagem – MG

Preconceito é preconceito!
07/11/2010 22h05

Confesso que não entendi o motivo de sua matéria nesse portal. Está querendo criar um debate sobre o tema do racismo? Seria a censura? Bem, seja o que for acredito que foi pelo viés errado, pois o conteúdo do livro é preconceituoso sim. Não dá pra maquiar: preconceito é preconceito. E daí se tiver que revisar boa parte da literatura racista, machista, anti-comunista, anti-indígena, etc. Aliás sua postura no caso dos índios é no mínimo equivocada. Aldo, misturar literatura infantil com os textos de Nelson Rodrigues é sofismar. A literatura adulta, por mais preconceituosa que seja é voltada a um público que está formado. Se vc não sabe, é na infância que se formam as concepções. Isso sem falar na concordância com parte dos agumentos usados acima pela Fátima. Vai ter muita gente, a exemplo do Pompe, que vai correr para lhe blindar. Espero que nesse debate as pessoas possam distinguir sua opinião das ideias do PCdoB. Desejo mais sutileza nas próximas investidas em temas como esse.

Daniel Max -Recife – PE

Ouviu o galo cantar não sabe onde
07/11/2010 20h05

Seria pedir demais ao dep. que cada vez que aparecesse uma polemicazinha num assunto como os dos negros Vossa Excelência conversasse com negros comunistas antes? Como no caso de Monteiro Lobato. Não se trata da prática de “enquadrar” A, B ou C, que abomino e, por não aceitar cabresto de Seu Ninguém, não o proponho pra ninguém. Só uma questão de conhecer e respeitar os diferentes pontos de vista. E a aprender. Temos a ensinar, não só a aprender. A impressão é que o deputado ouviu o galo cantar e não sabia onde. Se tivesse se dado ao trabalho de ler o parecer do CNE e a Nota explicativa para o painel da Folha limpinha talvez não tivesse emprenhado tanto pelo ouvido e nem falado o que se segue: “Com conselheiros desse nível, não admira que a educação esteja em situação tão difícil”. Você não foi deselegante, foi desrespeitoso. Quanto ao seu artigo eu, como negra e intelectual negra, o refuto de cabo a rabo. Vossa Excelência deve explicações a quem assume a identidade racial negra.

Fátima Oliveira -Belo Horizonte – MG

A Filosofia Marxista é sempre um Norte
07/11/2010 19h54

Camarada Aldo, Leio com atenção seus escritos. Por três motivos. 1º., somos do mesmo partido; 2º., temos a mesma origem rural sertaneja e vaqueira – vc, filho de vaqueiro; e eu trineta, bisneta e neta de vaqueiros – da qual tenho orgulho e o propósito de cultivar; 3º. pensamos bem diferente em temas como transgênicos, código florestal, Terra Indígena Raposa Serra do Sol e racismo. Tenho a convicção que não estou errada e nem confusa. E isso dá um bom debate, pois as minhas análises partem da filosofia marxista. As suas eu não sei de onde brotam. O problema é que sendo Vossa Excelência um deputado tudo o que fala parece que é um decreto do PCdoB. É o que me incomoda, porque não é verdade! Para mim a sua atuação nas temáticas acima citadas tem sido equivocadas e abaixo da crítica e tem emparedado militantes de tais temas e no impõe aturar críticas duras e pertinentes, como se cada um de nós fosse o/a autor/a, como as de ALDO, O BANDEIRANTE VERMELHO – José Ribamar Bessa Freire.

Fátima Oliveira -Beagá – MG
Veja também:  Trump usa o racismo como tática eleitoral

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum