Imprensa livre e independente
19 de fevereiro de 2019, 07h25

Desconfiado, Bolsonaro obriga até general Heleno a entregar o celular durante reunião

Além de Heleno, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, da Secretaria de Governo, também teve que deixar aparelho fora da sala em quem foi discutida a exoneração de Gustavo Bebianno

Bolsonaro e o general Augusto, chefe do GSI (Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil)
Jair Bolsonaro (PSL) obrigou os auxiliares a deixar os telefones celulares fora das salas nas reuniões para tratar da crise envolvendo a demissão do ex-ministro Gustavo Bebianno, informou a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo. Segundo ela, até mesmo os generais do governo, Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e Carlos Alberto dos Santos Cruz, da Secretaria de Governo, tiveram de entregar os aparelhos. A colunista lembra que uma das versões que circula sobre a demissão de Bebianno é que Bolsonaro ficou chateado por ele ter marcado um encontro com o vice-presidente de Relações Institucionais da...

Jair Bolsonaro (PSL) obrigou os auxiliares a deixar os telefones celulares fora das salas nas reuniões para tratar da crise envolvendo a demissão do ex-ministro Gustavo Bebianno, informou a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

Segundo ela, até mesmo os generais do governo, Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e Carlos Alberto dos Santos Cruz, da Secretaria de Governo, tiveram de entregar os aparelhos.

A colunista lembra que uma das versões que circula sobre a demissão de Bebianno é que Bolsonaro ficou chateado por ele ter marcado um encontro com o vice-presidente de Relações Institucionais da Globo, Paulo Tonet.

No entanto, Tonet já se reuniu também com Augusto Heleno, Santos Cruz e Onyx Lorenzoni.

 

Veja também:  Tabata Amaral desrespeita orientação do PDT e vota a favor da reforma da Previdência

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum