Imprensa livre e independente
28 de junho de 2019, 08h46

Bolsonaro vai falar do Nióbio e erra em conta básica de multiplicação

Em menos de um minuto de vídeo, Bolsonaro errou, pelo menos, duas operações básicas de multiplicar e teve que ser ajudado em outra. Veja o vídeo

Foto: Reprodução
Depois de virar meme, na noite desta quinta-feira (28), ao fazer propaganda de produtos de nióbio, o presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ) foi parar nos trend topics ao errar contas básicas de multiplicar. No vídeo, divulgado em suas próprias redes, Bolsonaro tem que parar para olhar em suas anotações ao tentar multiplicar uma colher de nióbio pelo preço de US$ 150, vezes quatro, valor do câmbio do dólar. Ao conseguir finalizar a operação, tem o resultado confirmado pelo ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência, general Augusto Heleno: “é, R$ 600,00”. A seguir, o presidente se lembra que são...

Depois de virar meme, na noite desta quinta-feira (28), ao fazer propaganda de produtos de nióbio, o presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ) foi parar nos trend topics ao errar contas básicas de multiplicar.

No vídeo, divulgado em suas próprias redes, Bolsonaro tem que parar para olhar em suas anotações ao tentar multiplicar uma colher de nióbio pelo preço de US$ 150, vezes quatro, valor do câmbio do dólar. Ao conseguir finalizar a operação, tem o resultado confirmado pelo ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência, general Augusto Heleno: “é, R$ 600,00”.

A seguir, o presidente se lembra que são duas peças, mostra e diz: “esse aqui, US$ 400,00 o garfo e a colher. Ao final, mais uma vez corrigido pelo general, afirma que a soma dá US$ 300 multiplicados por quatro e finaliza: “R$ 2.200,00! R$ 600,00 cada peça”.

Em menos de um minuto de vídeo, Bolsonaro errou, pelo menos, duas operações básicas de multiplicar e teve que ser ajudado em outra.

Veja também:  Em 2005, o então deputado Bolsonaro trabalhou em defesa do nepotismo

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum