100 anos de Paulo Freire: Celebrações e proibição de ataques dos bolsonaristas

Admirado no mundo e odiado por bolsonaristas, patrono da educação brasileira completaria 100 anos neste domingo (19)

O centenário de Paulo Freire (1921-1997), o patrono da educação da brasileira, celebrado neste domingo (19), não passará em branco, com exposições e programas em homenagem ao pedagogo. Admirado no mundo, Freire é criticado apenas no Brasil, especialmente pela extrema-direita, que desenvolveu um ódio irracional pelo pensador pernambucano.

Durante a pandemia, as ações contra o educador diminuíram, é verdade, mas, mesmo assim, o MNDH (Movimento Nacional de Direitos Humanos) entrou com ação na Justiça Federal do Rio de Janeiro para impedir que o governo federal realize “movimentos desqualificadores” contra Paulo Freire nas celebrações de seus 100 anos.

A juíza Geraldine Vital acatou a decisão e deferiu liminar proibindo o governo de Jair Bolsonaro de “praticar qualquer ato institucional atentatório a dignidade do professor Paulo Freire”. Cabe recurso.

Prestígio de Paulo Freire continua alto no mundo inteiro

Se aqui o pedagogo encara críticas ásperas da direita, no mundo inteiro seu prestígio só cresce 100 depois de seu nascimento.

Apenas em setembro, um único livro do educador foi citado em 23 livros e artigos acadêmicos no mundo inteiro, segundo informações da Folha de S. Paulo.

Patrono da educação brasileira e autor da “Pedagogia do Oprimido”, a trajetória de Freire teve a educação como prática de liberdade.

O biógrafo Sérgio Haddad, autor de “O Educador: Um perfil de Paulo Freire”, afirmava que ele era “um dos maiores responsáveis pela subversão imediata dos menos favorecidos”.

Tal afirmação representa a essência do trabalho de Paulo Freire na educação. Seu método tratava a forma de educar intrinsecamente com o nosso cotidiano e, claro, com a política.

Publicidade

Ele foi um adversário feroz do que chamava de “educação bancária”, classificando o professor como a pessoa que detém o conhecimento e o aluno um depósito de suas ideias.

Para o pedagogo, ensinar era uma jornada que partia da experiência de vida do aluno e do que ele conhecia, desenvolvendo o senso crítico dos estudantes.

Publicidade

Em seus 15 anos de exílio, por causa de seu Plano Nacional de Alfabetização, que previa a formação de educadores em massa e a rápida implantação de 20 mil “círculos de cultura”, que foi tido como uma ameaça pela Ditadura Militar pelo potencial de “revolta dos menos favorecidos”, caso as massas desenvolvessem senso crítico, Freire publicou diversos livros e artigos, passou por inúmeros países e se tornou o brasileiro com mais títulos honoris causa pelo mundo.

Alguns deles concedidos in memoriam (depois de sua morte) por universidades do Brasil e do exterior.

No ano de 2016, o especialista em estudos sobre desenvolvimento e aprendizagem Elliott Green, professor da London School of Economics, fez um levantamento no Google Scholar e elencou “Pedagogia do Oprimidocomo a terceira obra mais citada em trabalhos na área das humanidades no planeta com mais de 72.359 citações feitas até então.

Programação das celebrações dos 100 anos de Paulo Freire

Ato Político, Cultural e Pedagógico Paulo Freire

A partir das 14h deste domingo (19), o centenário de Paulo Freire será comemorado em uma live com extensa programação cultural. A partir das 18h, haverá uma apresentação do cantor Alceu Valença.

Trata-se de uma iniciativa da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), a IEAL (Internacional da Educação para a América Latina), Red Estrado (Rede de Estudos Latino Americano sobre o Trabalho Docente), CEAAL (Conselho de Educação Popular da América Latina e do Caribe) e das entidades que compõem o FNPE (Fórum Nacional Popular de Educação).

O evento virtual terá ainda outras apresentações musicais e intervenções políticas. Toda a programação será online nos canais do Youtube da CNTE, da IEAL e da UFPE. Saiba mais aqui.

Outros eventos

O Itaú Cultural realiza a “Ocupação Paulo Freire”, com programação presencial (em São Paulo) e online, deste sábado (18) até 5 de dezembro.

O 11° Interculturalidades: Primaverar, Viver Freire vai ocupar as redes sociais do Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense. Entre os convidados, estão Nita Freire, viúva de Paulo, o teólogo Leonardo Boff e o ativista indígena Daniel Munduruku. 

O Empório Pernambucano comemora o centenário freiriano no domingo (19), com o evento “Um Vizinho Ilustre”.

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) preparou uma ampla programação com a inauguração do memorial em homenagem ao educador, na biblioteca da Assembleia Legislativa, com a aposição de uma placa alusiva a Freire.

A Primavera Paulo Freire celebra os 100 anos do educador nos dias 22, 23 e 24 de setembro. Junto com a chegada da primavera, a Fiocruz promove uma série de atividades comemorativas online para relembrar e homenagear o legado do patrono da educação.

Avatar de Eduardo Lima

Eduardo Lima

Jornalista, Redator Publicitário, Editor Web e SEO

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR