Estudo inédito mostra relação da Covid com disfunção erétil, infertilidade e incontinência urinária

Pesquisa foi coordenada por médicos do Hospital das Clínicas em 2020 com pacientes adultos

Moradores de Maceió são orientados sobre o uso de máscaras durante a pandemia do novo coronavírus. Foto: Jonathan Lins/AGbr
Escrito en BRASIL el

Uma pesquisa realizada com 255 adultos, sendo 138 homens e 117 mulheres, que foram internados com Covid-19 no Hospital das Clínicas em 2020, aponta para casos descritos de sintomas de trato urinário inferior na fase aguda da doença.

Os sintomas relatados foram: disfunção erétil, infertilidade e incontinência urinária. Os dados da pesquisa serão apresentados a partir deste domingo (12) no 38º Congresso Brasileiro de Urologia, em Brasília.

Segundos os dados levantados pela pesquisa, 88,4% dos homens e 90,6% das mulheres relataram a presença de pelo menos um dos sintomas avaliados pelo questionário International Prostate Symptom Score (IPSS), que foi desenvolvido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e é baseado em oito perguntas e visa monitoras, diagnosticar e direcionar o tratamento de pacientes portadores de hiperplasia prostática benigna.

O estudo também revelou que os sintomas mais relatados foram noctúria (62%), que também é conhecida como diurese noturna e frequência miccional aumentada (50,2%).

Os outros sintomas foram frequência por urgência (42%), esvaziamento incompleto (39,2%), jato fraco (29,8%), intermitência (29,4%) e esforço miccional (20%). O registro de LUTS moderados ou graves ficou em 42,4% tanto no grupo de homens quanto no de mulheres.

A insatisfação com a qualidade de vida em relação aos LUTS foi relatada por 44,5% dos participantes.

Os pacientes pesquisados foram convidados a participar de avaliação multidisciplinar após seis meses de alta da Covid.

A pesquisa levou em conta os dados sociodemográficos e clínicos, e informações sobre a internação, tais como tempo de estadia, necessidade de terapia intensiva, intubação e hemodiálise.

A idade média dos participantes do estudo foi de 57,3. Os homens e as mulheres foram comparados em termos de idade, nível educacional, atividade física, saúde geral, comorbidades e parâmetros de gravidade da Covid-19.

Esse é o primeiro estudo realizado para avaliar a característica e a prevalência de sintomas urinários em longo prazo após a Covid-19.