FOGO NA BABILÔNIA

Pará: Polícia Militar queima 900 pés de maconha após denúncia

Havia três homens na plantação, que fugiram para a mata após os policiais fazerem disparos

Um homem abordou os policiais e revelou a localização da plantação.Créditos: Foto: Polícia Militar
Escrito en BRASIL el

Uma plantação ilegal de maconha, que continha 900 pés, foi queimada pela Polícia Militar no estado do Pará após uma denúncia. A ocorrência aconteceu em 23 de outubro.

Um homem, que não teve sua identidade revelada, abordou a polícia e contou sobre a plantação, que fica localizada na Via São Miguel do Crispim, zona rural de Marapanim. 

Os policiais foram até o local descrito por ele e encontraram um cultivo de meses da planta. De acordo com eles, havia três homens trabalhando na plantação, sendo um deles armado por uma espingarda, que a apontou para os PMs.

A Polícia Militar fez disparos contra os suspeitos, que fugiram pela mata. Após a fuga, a polícia queimou a plantação e coletou amostras para serem enviadas à Delegacia de Polícia de Marudá. 

Plantação de maconha pode se tornar opção para agricultores familiares

A legalização da cannabis e seu plantio têm sido assuntos cada vez mais debatidos pelo governo e Congresso Nacional. A Câmara dos Deputados discutirá sobre o plantio da maconha pela agricultura familiar em audiência a ser realizada nos próximos dias. 

De acordo com o deputado Padre João (PT-MG), as possibilidades econômicas e de desenvolvimento são algumas das razões pelas quais a Comissão de Integração Nacional e Desenvolvimento Regional realizará o debate.

Além disso, o Conselho Nacional de Políticas às Drogas (Conad), após um período em hiato durante o governo de Jair Bolsonaro (PL), retornou às atividades. O órgão, que tem o objetivo de estabelecer políticas públicas referentes ao tema, preza pela redução de danos, pela participação da sociedade civil em suas reuniões e instituiu, junto ao governo Lula, um grupo de trabalho para debater todas as formas de uso da cannabis.