JOGO SUJO

Provocação: Em meio à guerra, Google direciona “Lula coroação” para “corrupção”

Governo trava luta para aprovar PL das Fake News, frontalmente contrária aos interesses das big techs. Palavra “coroação” não está errada e também não é incomum

Créditos: Secom e Google
Escrito en BRASIL el

A guerra travada no Congresso Nacional para aprovar o Projeto de Lei (PL) das Fake News, que vai frontalmente contra os interesses das chamadas big techs, que são as grandes plataformas que operam redes sociais, buscadores de internet e aplicativos de comunicação, parece que teve mais um capítulo nesta sexta-feira (5). Um capítulo, aliás, com muita sujeira e golpe baixo.

O presidente Lula (PT) desembarcou nesta manhã em Londres, no Reino Unido, para as comemorações e cerimônias que marcam a coroação do Rei Charles III. Muito popular e fotografado desde cedo na capital britânica, o petista passou a ser “procurado” nos buscadores da rede por quem queria ler matérias sobre o evento ou ver fotos dele, como por exemplo do encontro com o primeiro-ministro Rishi Sunak.

Só que ao digitar no Google, o mais robusto dos gigantes big techs, a expressão “Lula coroação”, a própria página do buscador remete para uma “correção”: “Lula corrupção”.

Quem primeiro foi às redes para avisar do “ajuste” do algoritmo foi o youtuber Felipe Neto, que contou ter sido alertado pelo deputado André Janones (Avante-MG). Neto, que é um dos maiores sucessos e audiências da internet, além de profundo conhecedor dos mecanismos que funcionam no ambiente virtual, chamou a atenção para o fato do vocábulo “coroação” não estar gramaticalmente errado, e tampouco ser uma palavra incomum, tendo em vista que a coroação de Charles III é um dos assuntos que mais bombaram no mundo nas últimas semanas.

“Olá, Lula... O André Janones me avisou no privado e tive que abrir o Google pra acreditar. Se trata de um erro algorítmico, mas é inaceitável. “Coroação” não é uma palavra errada ou de rara pesquisa. Google dará explicações? Corrigirá? Sem o PL, não são obrigados a nada”, postou Felipe Neto em sua conta no Twitter, marcando o presidente da República e o parlamentar mineiro.

Para mostrar que o Google agiu deliberadamente para associar Lula a algo negativo justamente utilizando um termo muito procurado nos dias atuais, o influencer fez a mesma busca com o nome do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e o resultado foi uma “correção” para “Bolsonaro coração”. O mandatário recém-saído do cargo vem enfrentando uma série de acusações de corrupção, sobretudo no caso das joias “dadas” por países árabes a ele durante seu mandato, fatos que dominaram o noticiário nos últimos meses. Nem mesmo isso fez com que o algoritmo desse a mesma resposta que a do atual chefe de Estado.

Até a publicação desta nota, às 18h12, a Fórum seguiu fazendo as duas buscas e os resultados eram os mesmos apresentados por Felipe Neto no Twitter. O Google não se pronunciou até agora sobre a ação "de seus algoritmos".