NEONAZISMO

Duda Salabert foi ameaçada de morte por criminoso do Discord preso por abuso sexual

Um dos abusadores que catalogavam meninas menores de idade para abuso sexual é autor de mensagens nazistas direcionadas à deputada federal

A deputada federal Duda Salabert.Créditos: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Escrito en BRASIL el

A deputada federal Duda Salabert (PDT-MG) expôs ameaças que recebeu de um dos criminosos envolvido nos abusos de meninas menores de idade, esquematizados na plataforma Discord, denunciados na reportagem do "Fantástico", da Globo, no último domingo (25).

Os tweets de Duda evidenciam o discurso de ódio de William Maza dos Santos, que foi preso na última sexta-feira (23) por participar da rede criminosa. 

A deputada compartilhou prints de e-mails e mensagens enviadas por William com ameaças de morte. “Perder seu emprego foi só o começo, na próxima vez você vai perder a sua vida”, escreve o homem, após um grupo nazista aterrorizar a escola onde Duda atuava como professora.

Na campanha para a eleição da deputada, William continuou a aterrorizando, publicando em seu site mais ameaças e mensagens direcionadas a ela e também à deputada Federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP) e aos alunos da Universidade Estadual de São Paulo.

Artigos inteiros, pertencentes ao perfil de nickname “Joust”, mesmo user utilizado por William na plataforma Discord ao realizar as ações criminosas de abuso, eram postados na plataforma Wordpress, com os títulos “Mártir dos travecos e o estupro seguido de morte na esposa e filha” e “O traveco Salabert se sentiu ameaçado e as duzentas crianças que ficaram traumatizadas com a presença dele”. O site que continha o conteúdo foi retirado do ar.

Mensagem sobre a suspeita do autor das ameaças direcionadas à Salabert
Créditos: Twitter

O tio de William é advogado e compareceu ao gabinete de Salabert repentinamente após a deputada tornar públicas as ameaças recebidas e ter acesso, através de um perfil anônimo, ao número de William e entrado em contato dizendo que o denunciaria. O tio entregou uma papelada e alegou que seu sobrinho era inocente. Naquela época, a deputada havia recebido uma carta nazista que dizia: “Você, Duda, é um perigo para a sociedade. Você tem que ser isolado o mais rápido possível. De preferência em um campo de concentração cheio de porcarias igual a você.”

“De SP pra Minas Gerais, é só um passo. Quer ser mártir dos travecos, então beleza, aberração. Posso deixar você mais feio do que já é hoje, apenas preciso de um bastão de aço e um maçarico. A fúria de Deus vai cair sobre você”, escreve William em um e-mail enviado no dia 28 de julho de 2022.

William participava de grupo extremista que catalogava e abusava de meninas

No último domingo (25), o Fantástico veiculou uma reportagem sobre um grupo de jovens na rede social ‘Discord’, em que os criminosos catalogavam meninas menores de idade como “vagabundas estupráveis”. A polícia investigou o caso de uma adolescente de 13 anos, que fugiu de sua casa, em Joinville (SC), para encontrar com um "amigo" que fez pelo Discord em São Paulo. Na capital paulista, a menina foi dopada, estuprada por diversos homens e mutilada durante duas semanas.

Meses depois, a polícia soube do caso e, após a investigação, foi constatado que o usuário de nome “Joust” é William Maza dos Santos, responsável pelas ameaças à Duda Salabert, que foi preso na última sexta-feira (23). 

Ao fim de uma das mensagens direcionadas à Duda Salabert, o criminoso finaliza com uma frase que, mais tarde, seria comprovada como um de seus crimes: 

Frase final de um e-mail de William para a deputada
Créditos: Twitter

Duda Salabert confia nas investigações policiais e declara esperança na justiça:

Tweet da deputada em seu perfil oficial
Créditos: Twitter