HORROR

Esclarecido caso de jovem que foi desfigurada com ácido e está na UTI no PR

Isabelly Ferreira Moro, de 23 anos, caminhava na rua quando uma pessoa disfarçada com peruca loira e roupas pretas jogou substância no seu rosto, boca e tórax. Ele acabou engolindo o líquido

A jovem Isabelly Ferreira Moro, atacada com ácido no interior do PR.Créditos: Instagram/Reprodução
Escrito en BRASIL el

A Polícia Civil do Paraná esclareceu um caso de violência brutal ocorrido esta semana que chocou o país. Uma jovem de 23 anos foi atacada com ácido, na tarde de quarta-feira (22), no pequeno município de Jacarezinho, na região do Norte Pioneiro Paranaense, e está internada na UTI do Hospital Universitário de Londrina.

Imagens de circuitos de monitoramento de residências e áreas públicas mostraram o momento em que Isabelly Ferreira Moro caminhava pela calçada de uma rua da cidade quando uma pessoa, disfarçada com peruca loira e roupas pretas largas, joga o líquido contra ela, atingindo o rosto, a boca e o tórax da vítima, que acabou engolindo o produto químico de forma involuntária. Ela sai desesperada correndo, atravessa a via, e vai pedir ajuda numa barbearia, embora não conseguisse falar por conta das gravíssimas queimaduras químicas.

Os investigadores chegaram a uma mulher de 22 anos, que até o momento não teve a identidade revelada pelas autoridades, que seria companheira de um homem, atualmente preso pelo crime de roubo, que é ex-namorado de Isabelly. O crime teria sido motivado por ciúmes.

Responsável pelo inquérito que investiga o episódio chocante, o delegado Tristão Borborema explicou que a mulher já era suspeita de ser a autora do ataque desde o começo e que um mandado de prisão, solicitado por ele à Justiça, já tinha sido expedido na manhã de quinta (23). No entanto, o policial que comanda a investigação optou por manter o fato em sigilo para chegar com mais facilidade à acusada e evitar que ela fugisse.

Os policiais a encontraram no fim da madrugada desta sexta-feira (24) sentada no rol de entrada de um pequeno hotel de Jacarezinho. Ao receber voz de prisão e conversar com os investigadores, a acusada assumiu a autoria do ataque e falou sobre os ciúmes que nutria em relação à jovem por conta do atual parceiro dela, que já namorou Isabelly.

Borborema considera o caso esclarecido, embora seja necessário ainda identificar oficialmente que produto químico foi usado no ataque e onde ele foi adquirido. A Polícia Civil quer saber também se alguém ajudou a autora na execução do crime. A mulher detida responderá pelos crimes de tentativa de homicídio com qualificadoras de motivo fútil, emboscada, meio cruel, impossibilidade de defesa da vítima e uso de substância.

Isabelly segue sedada e em coma na UTI do Hospital Universitário de Londrina, com graves ferimentos na pele e musculatura do rosto e do tórax, além de lesões severas no interior da boca, esôfago e estômago, decorrentes da ingestão do líquido ácido.