VIDA BANDIDA

Cirurgião plástico que passou 35 anos na cadeia é preso por tentativa de homicídio

A história de Hosmany Ramos parece filme: foi preso após vários crimes em 1981, fugiu, foi detido na Islândia, acabou solto e, agora, volta à cadeia

Hosmany Ramos.Créditos: Reprodução/RecordTV
Escrito en BRASIL el

Uma história que parece roteiro de filmes de Hollywood. A fama do cirurgião plástico Hosmany Ramos começou na década de 1970, quando cometeu inúmeros crimes, como homicídio, sequestro e assaltos. Condenado, passou mais de 35 anos na cadeia e, agora, foi preso novamente.

Aos 79 anos, Hosmany foi preso em flagrante nesta quarta-feira (1º), acusado de tentativa de homicídio após atirar na cabeça de um homem (acertou de raspão), em um bairro de classe alta de Itajaí (SC).

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), o médico atirou depois de se desentender com um homem que vendia lotes de terra em Santa Catarina. 

Os agentes informaram que o cirurgião teria demonstrado interesse em montar uma clínica no local. Porém, acabou discutindo e atirando contra a vítima. A Polícia Civil investiga o caso.

Há pouco mais de um ano, Hosmany havia sido detido, suspeito de furtar um celular, em um supermercado de Palmas (TO).

Passado de crimes

Hosmany Ramos, que chegou a ser assistente de Ivo Pitanguy, famoso cirurgião plástico, professor e escritor, tem uma longa história de crimes.

Em 1981, foi condenado a 45 anos de cadeia, após ser preso com aviões roubados e pela morte de um piloto que seria seu cúmplice. Também foi investigado por contrabando, tráfico de drogas e roubo de joias e carros de luxo.

Em 2008, conseguiu fugir, beneficiado pela saída temporária de Natal. Porém, no ano seguinte, Hosmany foi preso em Reikjavik, na Islândia, ao tentar entrar no país apresentando passaporte falso, em nome do irmão. Ele ia da Noruega para o Canadá.

Na ocasião, foi condenado a 15 dias de prisão pelo crime e teve a pena estendida a pedido do governo brasileiro, para evitar nova fuga.

Na cadeia, já no Brasil, realizou cirurgias plásticas restauradoras em presidiários feridos, aprendeu a pintar e se dedicou à literatura. O médico já escreveu mais de 20 livros, a maioria na prisão.

Hosmany foi solto em 2016, porque tinha mais de 70 anos e havia cumprido mais de um terço da pena. Em seguida, morou por quatro meses com o filho na Noruega, onde abriu um canal no YouTube.

De volta, em 2018, se lançou candidato a deputado federal por São Paulo pelo Avante. Entretanto, a Justiça Federal barrou sua candidatura ao julgar procedente a impugnação do Ministério Público (MP) com base em processos de condenação.

Fama de conquistador e tentativas cinematográficas de fuga

Antes de ser preso pela primeira vez, Hosmany era figura constante na alta sociedade do Rio de Janeiro. Com fama de conquistador, aparecia frequentemente nas colunas sociais. À época, era dono de quatro carros importados e um apartamento em Copacabana, zona sul carioca.

Ao longo de sua trajetória, o cirurgião protagonizou mais de dez tentativas de fuga da prisão. Em uma delas, serrou as grades da cela. Porém, o plano falhou porque a corda de pano utilizada na fuga arrebentou.

Em outro caso, Hosmany aproveitou o descuido de quatro agentes para trancá-los em uma cela da superintendência da Polícia Federal do Rio.

Temas