SOLIDARIEDADE

MST anuncia campanha de apoio às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul

O maior movimento social do mundo teve cerca de 300 famílias produtoras de arroz afetadas pelos temporais que atingem o estado; Veja imagens e saiba como doar

Manifestação do MST.Créditos: Juliana Adriano/MST/Divulgação
Escrito en BRASIL el

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) anunciou neste sábado (4) o lançamento de uma ampla campanha de solidariedade à população do Rio Grande do Sul atingida pela crise climática decorrente das chuvas que atingem o estado.

Os gaúchos vivem uma calamidade pública nunca antes vista na sua história. Ainda não é possível dimensionar o volume da catástrofe das águas que já deixou dezenas de mortes, isolamento de centenas de cidades, deslizamentos, quedas de barreiras e alagamentos nesta que já é considerada a maior enchente até hoje no estado.

O MST aponta que o objetivo da campanha é organizar um mutirão de arrecadação de recursos financeiros para contribuir com as ações nos municípios gaúchos.

Em boletim divulgado no final desta manhã, a Defesa Civil atualizou para 56 o número de mortos em decorrência das enchentes no Rio Grande do Sul. Há ainda 67 desaparecidos, 74 feridos, 32.962 pessoas fora de casa, sendo 8.296 pessoas em abrigos e 24.666 desalojadas.

Ao todo, 281 dos 496 municípios do estado registraram algum tipo de problema, afetando 377.497 mil pessoas.

Assentamentos atingidos

O maior movimento social do mundo também informou que teve cerca de 300 famílias produtoras de arroz atingidas pela tragédia. Todas oriundas do Irga (Instituto Rio Grandense do Arroz). Assentados próximos da sede da Cooperativa dos Trabalhadores Assentados da Região de Porto Alegre (Cootap), em Eldorado do Sul, estão sendo resgatados.

Créditos: Wesley Lima/MST-RS

“O salvamento começou sendo feito pelos próprios assentados, agora só pode ser seguido pelo Exército e Defesa Civil. As famílias estão sendo levadas para assentamentos na região onde a água não chegou nas casas”, diz nota do MST.

De acordo com o movimento, o prejuízo ainda é incalculável. Foram perdidos estruturas de casas, móveis, lembranças, produção de arroz e hortas agroecológicas. Nesses últimos casos, os camponeses já haviam feito o replantio após a enchente do final do ano passado. As famílias seguem em abrigos coletivos nesse período.

Créditos: Wesley Lima/MST-RS

Os assentamentos de Nova Santa Rita, Viamão e Tapes também tiveram perdas nas suas produções de arroz e hortas. No interior, nos municípios de São Gabriel, Hulha Negra, Jóia e na Região Centro, a água também está cobrindo as estradas e lavouras.

Créditos: Wesley Lima/MST-RS

Saiba como doar

Campanha de Solidariedade às vítimas das enchentes no RS

Contribua com qualquer doação através dos dados bancários

  • Banco: 350
  • Agência: 3001
  • Conta: 30253-8
  • CNPJ: 09.352.141/0001-48
  • Nome: Instituto Brasileiro de Solidariedade
  • CHAVE PIX: 09352141000148
Créditos: Wesley Lima/MST-RS