Fórumcast, o podcast da Fórum
16 de julho de 2019, 08h58

Homem espalha panfletos oferecendo ex-esposa para programas sexuais

Nos cartazes, ele apresentava uma pediatra como a “melhor opção de divertimento” sexual da região. Além do telefone particular, havia ainda no panfleto uma foto da médica

Foto: Reprodução

Um sujeito, identificado apenas pelas iniciais A.A.R., foi preso, na manhã desta segunda-feira (15), em São Paulo, após portar panfletos onde oferecia sua ex-esposa para programas sexuais.

Nos cartazes ele apresentava uma pediatra como a “melhor opção de divertimento” sexual da região. Além do telefone particular, havia ainda no panfleto uma foto da médica.

“Médica & Puta!! Vadia, safada, dou + a buceta que like”, dizia o panfleto. “Não é fake!”, garantia o cartaz, que trazia ainda o email e o número do CRM da profissional.

Um dos cartazes, afixado em um poste na avenida Angélica, em São Paulo, foi recolhido por uma amiga da médica quando saia do plantão, no último dia 23 de junho.

Outros panfletos, com teor semelhante, foram encontrados nos dias seguintes por colegas da pediatra em ao menos quatro pontos distintos da capital, todos próximos a hospitais que a médica também trabalhava.

Foi, então, que ela procurou a polícia para denunciar o fato.

A equipe de investigação da 6ª DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), de Santo Amaro (a mesma que investiga o suposto estupro do jogador Neymar), conseguiu localizar o responsável pela distribuição do material.

Veja também:  CPI da Lava Jato pode desbaratar organização criminosa de Moro e Dallagnol

No interior do carro do ex-marido, um corretor de imóveis, foram encontrados cerca de 2.000 cartazes prontos para serem destruídos. O carro estava em uma rua de Santo Amaro (zona sul).

Conduzido ao distrito, o ex-marido confessou ter espalhado os cartazes, segundo ele em um momento de raiva, mas disse que estava arrependido e até estaria recolhendo o material que encontrava.

O ex-marido disse que resolveu produzir os cartazes para tentar devolver a ex-mulher uma série de humilhações sofridas por ele desde a separação, no dia 1º de maio, depois quase sete anos juntos.

“Dia 30 de abril eu era o cara [data de aniversário dele]. Com declaração e tudo no Facebook. E, no dia 1º, eu estava fora de casa. Não valia nada, era um bandido. E eu não tinha feito nada contra ela, traição, nada”, disse.

De acordo com a polícia, o ex-marido foi liberado após prestar depoimento. A informações prestadas por ele serão anexadas ao inquérito que apura difamação.

Com informações da Folha


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum