Aberto aos finais de semana, Sambódromo do Anhembi vai fechar no sábado contra “motocada” de Bolsonaro em SP

A SPTuris informou à Fórum que não recebeu pedido de autorização para a "motocada" de Bolsonaro, marcada para começar no local; Doria ameaça multar o presidente caso ele não use máscara

No próximo sábado (12), o presidente Jair Bolsonaro pretende realizar mais uma “motocada” com aglomeração, desta vez em São Paulo (SP). O evento, batizado de “Acelera para Cristo com Bolsonaro”, deve reunir mais de 100 mil motociclistas, conforme anunciado pelo próprio titular do Palácio do Planalto esta semana.

“Você estará sábado em São Paulo? A previsão é de [que teremos] 100 mil motos lá”, disse o presidente a um apoiador na segunda-feira (7).

Em divulgações nas redes sociais, bolsonaristas anunciam que a “motocada” terá início às 10h no Sambódromo do Anhembi e seguirá até a avenida Paulista, onde está prevista a instalação de um trio elétrico e ritual religioso, o que deve gerar aglomeração.

Fórum recebeu informações – não confirmadas pelo governo – que a segurança de Bolsonaro estaria tentando junto à administração do Sambódromo do Anhembi uma autorização para que o presidente pouse de helicóptero no local, assim como fez em outras “motocadas” recentes e que vêm sendo alvo de ações na Justiça por configurarem, segundo os autores, infração sanitária.

A SP Turismo (SPTuris), empresa que administra o Polo Cultural e Esportivo Grande Otelo, conhecido popularmente como Sambódromo do Anhembi, no entanto, informou à Fórum que não foi consultada pela equipe de Bolsonaro sobre a realização do evento no local. O complexo do Anhembi, normalmente, fica aberto ao público aos finais de semana para lazer e práticas esportivas, mas a SPTuris, ao ficar sabendo dos planos da organização da “motocada” em usar o local como ponto de partida, decidiu fechar as portas na data do evento. Ou seja, os bolsonaristas não poderão utilizar o Sambódromo para iniciar o “passeio”.

“Ficamos cientes de possível evento por meio da divulgação na mídia e, para preservar a segurança física e sanitária da população que frequenta o parque Arena Sambódromo aos finais de semana para lazer, estamos providenciando o fechamento do mesmo na data citada pela mídia como a data do evento”, diz nota da empresa enviada à Fórum.

“Será multado”

Em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (9), ao ser questionado sobre a “motocada”, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), garantiu que o presidente vai ser multado por infração sanitária caso participe do passeio sem utilizar máscara de proteção, como costuma a fazer em outros eventos parecidos.

“Avaliaremos as circunstâncias com a Secretaria de Segurança das manifestações anunciadas. Se o presidente Jair Bolsonaro imagina que pelo fato de ser presidente, pode vir a São Paulo participar de um evento de rua e não usar máscara, ele será multado, como qualquer outro cidadão”, disse Doria.

À Fórum, a equipe de comunicação do governo de São Paulo informou que uma reunião com o conselho de Segurança Pública do estado está marcada para acontecer nesta quarta-feira (9) e, nela, será discutido de que forma a gestão paulista vai agir com relação à “motocada” de Bolsonaro.

Até o momento, a única administração estadual que autuou Bolsonaro por fazer aglomeração sem uso de máscara foi a do Maranhão, comandada por Flávio Dino (PCdoB).

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista e repórter especial da Revista Fórum.