Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
10 de fevereiro de 2020, 19h07

Adriano Nóbrega teve localização denunciada por segurança próprio

Homem apreendido pela polícia, suspeito de trabalhar como segurança para o miliciano, informou a localização do ex-PM na chácara onde foi morto

Foto: Reprodução

A localização de Adriano Nóbrega, miliciano morto neste domingo (9) na Bahia, teria sido denunciada por um suspeito de trabalhar como segurança para o ex-PM. O homem, cuja identidade não foi revelada, foi apreendido pela Polícia e teria indicado a localização de Nóbrega na chácara em que foi morto, na região rural de Esplanada (BA).

A informação foi divulgada pelo secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, em entrevista à TV Bahia. O segurança disse não saber do histórico criminal de Nóbrega.

Barbosa também se pronunciou sobre a ação da Polícia ao matar Adriano: “Estávamos diante de uma pessoa de alta periculosidade, envolvidos em diversos crimes e com treinamento de tiro, pois chegou a ser um policial de operações especiais. Óbvio que queríamos efetuar a prisão, mas jamais iríamos permitir que um dos nossos ficasse ferido ou saísse morto do confronto”.

Barbosa lamentou que o caso estivesse sendo utilizado de forma “política”: “Gostaria de ressaltar que não há nenhum interesse por parte da Secretaria de Segurança, por parte da Polícia Militar, querer esconder qualquer tipo de crime cometido por Adriano e sua quadrilha e o envolvimento dele com qualquer tipo de crime”.

A morte de Nóbrega será investigada pela Corregedoria da Polícia Civil do Rio de Janeiro, assim como pela da Bahia, com o intuito de apurar se o ocorrido de fato aconteceu após troca de tiros entre a polícia e o miliciano.
De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), Nóbrega teria resistido ao mandado de prisão com disparos de arma de fogo, resultando em seu ferimento. Ele foi encaminhado para um hospital da região, mas não resistiu.

O sítio em que Nóbrega foi encontrado pertence ao vereador Gilson Neto, do PSL, que, em nota, afirmou não conhecer o miliciano.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum