Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
31 de janeiro de 2019, 06h25

“Agora é Bolsonaro”, dizem invasores armados em terra indígena, segundo presidente da Funai

A equipe da Funai tirou a foto de uma placa da terra dos Uru-Eu-Wau-Wau, com marcas de bala. Devido ao risco dos invasores, que visam a extração ilegal de madeira, Franklimberg Freitas quer o apoio da Polícia Federal

Reprodução/Funai/PF

Em viagem à Rondônia para monitorar a invasão de homens armados em terras indígenas dos povos Karipuna e Uru-Eu-Wau-Wau, o presidente da Funai, Franklimberg de Freitas, afirmou que ouviu depoimentos de que os invasores estariam dizendo que o presidente Jair Bolsonaro apoia suas ações. “Agora é Bolsonaro”, dizem os invasores, segundo relato de indígenas ouvidos por Freitas.

“Alguns posseiros fizeram esses comentários, de que o presidente estaria apoiando invasões. Isso é boato. É falso. O presidente não tem interesse em qualquer ação nesse sentido. Hoje estivemos na Uru-Eu-Wau-Waupara dizer que isso não é verdade”, disse o presidente da Funai, segundo o jornalista Guilherme Amado, da revista Época.

A equipe da Funai tirou a foto de uma placa da terra dos Uru-Eu-Wau-Wau, com marcas de bala. Devido ao risco que os invasores representam, Franklimberg quer o apoio da Polícia Federal.

“Vamos acionar os órgãos de segurança pública para nos apoiar nessas ações de vigilância para a proteção dos povos indígenas”, disse ele, ressaltando que as invasões visam a extração ilegal de madeira.

“Algumas lideranças indígenas dos povos Karipuna e Uru-Eu-Wau-Wau, que relataram dificuldades que estão passando em razão das frequentes invasões de posseiros interessados em atuar como na extração de madeira e no garimpo ilegais”.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum