Fórumcast, o podcast da Fórum
16 de junho de 2018, 18h04

Após quatro meses de intervenção militar, tiroteios aumentam 36% no Rio

"Passados 120 dias da intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro, megaoperações policiais e militares se sucedem, cada vez maiores, com resultados pouco expressivos", mostra balanço do Observatório da Intervenção

(Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

O Observatório da Intervenção fez um balanço dos quatro meses de intervenção militar no Rio de Janeiro, a partir dos números do Fogo Cruzado, laboratório de dados sobre violência. Com um decreto publicado no dia 16 de fevereiro deste ano, do governo de Michel Temer, o general do Exército Walter Souza Braga Netto, do Comando Militar do Leste, assumiu a segurança pública do Rio.

“Passados 120 dias da intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro, megaoperações policiais e militares se sucedem, cada vez maiores, com resultados pouco expressivos”, diz o balanço. De fevereiro a maio, houve 444 mortes por policiais e 39 agentes morreram. O número de tiroteios teve um aumento expressivo passando de 2355 nos quatro meses pré-intervenção para 3210 nos últimos quatro meses.

O decreto que autorizou a União a intervir no Rio de Janeiro vai até o dia 31 de dezembro deste ano. No entanto, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, sugeriu nesta sexta (15) que a intervenção seja prorrogada por mais um ano, até o fim de 2019.

“Para melhorar a segurança pública, precisamos de medidas estruturantes, de integração das forças e de combate à corrupção. A intervenção prometeu tudo isso. Mas só está entregando operações, tiroteios e mais mortos em confrontos, inclusive policiais. Até quando?”, questiona o Observatório.

Confira abaixo o infográfico com um balanço dos quatro meses de intervenção (clique na imagem para ampliá-la)

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum