Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
19 de março de 2019, 15h08

Atiradores de Suzano planejavam matança de namorados de alunas e estupro coletivo

“A gente ia deixar as garotas nuas, executar algumas no meio do pátio, deixar o corpo de uma forma humilhante, e fazer coisas a mais, para o crime ficar inesquecível”, relatou o jovem apreendido em conversa com os outros dois assassinos

O terceiro envolvido no massacre de Suzano, entre Luiz Henrique e Guilherme (Montagem)

Reportagem de Otávio Augusto, no site Metrópoles nesta terça-feira (19), revela que no relatório que resultou na prisão do terceiro envolvido no massacre ocorrido na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, cita troca de mensagens entre o rapaz, que foi para a Fundação Casa, e os outros dois envolvidos, Guilherme Taucci, considerado o mentor do atentado, e, Luiz Henrique de Castro, que se mataram durante a ação.

Nas conversas entre os três, o jovem diz: “Eu e o Taucci iríamos um pra cada lado com facas. Eu ia executar os namorados primeiro (os que ficam mais escondidos), e ele, o povão lá do meio do pátio”, antes de detalhar passos para um estupro coletivo.

“A gente ia deixar as garotas nuas, executar algumas no meio do pátio, deixar o corpo de uma forma humilhante, e fazer coisas a mais, para o crime ficar inesquecível”, descreveu.

Indagado por um interlocutor de que os fatos ganhariam repercussão, principalmente se ocorresse estupro, ele respondeu que “era a intenção”. “Nos baseamos em alguns jogos para pensar nisso, tipo matar uma galera na frente de uma mina (sic), e esfaquear quem ela gosta e deixar uma amiga de refém”.

Segundo a polícia, no dia do ataque, o atirador Guilherme Taucci, de 17 anos, teria reconhecido a irmã do adolescente, apreendido nesta terça-feira (19/3), nos corredores do Raul Brasil e a poupou de uma agressão, deixando-a sair ilesa.

Nesta terça-feira, o menor foi ouvido em audiência de apresentação, no Fórum de Suzano. A juíza Erica Marcelino Cruz manteve a decisão de deixar o adolescente internado por 45 dias em uma unidade da Fundação Casa.

Leia a reportagem completa no Metrópoles.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum